Page Nav

HIDE

Classic Header

{fbt_classic_header}

ÚLTIMAS:

latest

Gatos: Supertisções, crendíces e ocultismo animal

Os gatos têm sido associados ao sobrenatural desde os tempos antigos. Gatos estão associados a boa ou má sorte, cura ou dano. No folclo...



Os gatos têm sido associados ao sobrenatural desde os tempos antigos. Gatos estão associados a boa ou má sorte, cura ou dano. No folclore, o gato é um dos companheiros animais favoritos de bruxas, feiticeiros e adivinhos. Superstições sobre gatos são abundantes.

Mas a Bíblia em todo o tempo condena veementemente todos os tipos de crendices, coisas ligadas à bruxaria, advinhação e coisas do gênero, como podemos ver no trecho Bíblico a seguir:

Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações.
Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro;
Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos;
Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti. Deuteronômio 18:9-12


O gato era sagrado para os antigos egípcios, que o associavam à Lua e Bast, a deusa do casamento. Também foi associado à "deusa mãe'', Ísis . Na arte egípcia, o deus do sol, Ra, era personificado como um gato matando a Serpente das Trevas. Gatos pretos foram associados à escuridão e à morte.

Imaginem como José não deve ter se sentido no Egito, com todas essas crendices e costumes que iam totalmente contra os princípios de DEUS que ele aprendera com Jacó, seu pai. Por exemplo, José poderia ter o gato como um animal qualquer de estimação, no entanto, chegando no Egito viu que o povo tinha outra cultura e usava a figura do gato para outras questões.

Segundo a tradição ocultista, virtualmente todo feiticeiro, bruxa e cartomante cigano deveria ter um gato - e às vezes uma coruja e um sapo também. Durante a caça às bruxas, os gatos eram familiares; eles encarnavam Demônios que realizavam as tarefas de feitiçaria das bruxas contra seus vizinhos.

Elizabeth Francis de Chelmsford, Inglaterra, condenada como bruxa em 1556, disse que mantinha um gato branco manchado chamado Sathan, que, sempre que realizava um trabalho para ela, exigia uma recompensa de uma gota de sangue.

Segundo a lenda, dizia-se que as bruxas podiam assumir a forma de um gato nove vezes, provavelmente porque um gato tem nove vidas. Dizia-se que os gatos pretos eram o próprio diabo. Mas ora, como podem usar uma criação de DEUS para praticar o mal?

Por toda a Europa medieval, os gatos pretos eram rotineiramente caçados e queimados, especialmente na terça-feira gorda e na Páscoa. Um gato acusado de ser familiar de uma bruxa geralmente era queimado vivo. Gatos também eram usados ​​nos feitiços das bruxas. No julgamento de John Fian, a bruxa mais famosa da Escócia, em 1590-91, Fian e seu clã foram acusados ​​de tentar afogar James VI (James I) e a rainha Anne em sua viagem à Dinamarca. As bruxas supostamente batizaram um gato, amarraram-no a um cadáver humano desmembrado e jogaram o embrulho no mar enquanto recitavam encantamentos.. Uma grande tempestade surgiu e forçou o navio real a retornar à Escócia, mas o rei e a rainha estavam ilesos.

Na tradição das Terras Altas da Escócia, uma grande raça de gatos selvagens, chamados Elfin Cats, é considerada uma bruxa disfarçada. Os Gatos Elfin são do tamanho de cães e são pretos com uma mancha branca no peito. Eles têm costas arqueadas e cerdas eretas - o gato estereotipado do Dia das Bruxas.

Embora o gato preto esteja associado à bruxaria, é considerado boa sorte possuir um em partes da Europa, Inglaterra e Estados Unidos. Mas ter o caminho atravessado por um gato preto, na cultura do ocultismo supersticioso, é sempre má sorte. Em outro folclore, se um gato pular um cadáver, o cadáver se tornará um vampiro. Para evitar isso, o gato deve ser morto. Gatos são encantos de fertilidade - um gato enterrado em um campo garantirá uma colheita abundante, segundo ocultistas.

Na realidade, sabemos que o maligno intenta o tempo inteiro contra às criações de DEUS. Na realidade, o diabo quer profanar contra DEUS através de suas criações; animais de várias espécies e também o homem.

O gato desempenha um papel no Vodun, no sul dos Estados Unidos. Os encantos de gatos, particularmente aqueles feitos com bigodes de gatos, podem trazer azar, doenças e morte à vítima. Por outro lado, no folclore, os gatos têm muitas propriedades curativas. Diz-se que um caldo feito de um gato preto "cura dos vícios''. No século XVII, um gato inteiro cozido em óleo era considerado bom para curar feridas. As doenças podiam ser transferidas para os gatos, que eram expulsos de casa. Isso o Olavo de Carvalho explica bem em seus cursos cheios de esoterismo e bruxaria.

Os olhos dos gatos devem ser capazes de ver fantasmas . No oeste da Ásia, uma pedra chamada Olho de Gato - vermelho opaco com uma marca branca - está associada a problemas e ao mal. Na Wicca, o gato é um companheiro ou familiar favorito, valorizado por sua sensibilidade psíquica e assistência em magia e ritual.

Muitas pessoas, por essas questões, possuem grande preconceito contra os gatos. Muitos tem ódio mortal dos felinos, porém, outros costumam adotá-los e tê-los em casa sem nenhum problema.

Ao meu ver, os gatos são criação de DEUS e merecem o carinho que qualquer outro animal. Ora, não podemos basear uma crendice e atos falhos de humanos, na condenação de uma espécie que outrora fora criado por DEUS.