Temer envia ao Congresso projeto de lei da privatização da Eletrobras

Nenhum comentário

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Michel Temer assinou projeto de lei que prevê a desestatização da Eletrobras. O documento será enviado ao Congresso Nacional, afirmou o Ministério de Minas e Energia nesta sexta-feira.

A proposta prevê a capitalização da empresa sem a necessidade de venda de ações, e bônus de outorga. O texto prevê que o aumento de capital “poderá ser acompanhado de oferta pública secundária de ações de propriedade da União ou de empresa por ela controlada, direta ou indiretamente”.

O projeto de lei também propõe limitar a 10 por cento o poder de voto para qualquer acionista que detenha participação no capital superior a esse patamar, segundo o ministério.

“Estas medidas evitam a concentração de mercado e a tomada hostil de controle por outra companhia”, diz o comunicado.

A União terá uma “golden share” para garantir a indicação de membro do conselho, além dos já associados à sua participação acionária.

Segundo a nota, um terço dos recursos obtidos no processo de “descotização” de usinas hidrelétricas será usado para abater encargos tarifários.

A União receberá um bônus em troca da mudança nos contratos de usinas mais antigas, como as que tiveram suas concessões prorrogadas no governo Dilma Rousseff, e que eram obrigadas a vender energia em um regime de cotas.

Como já havia sido anunciado pelo governo, a proposta prevê manter sob controle da União a Eletronculear, que administra as usinas nucleares em Angra dos Reis (RJ) e a parte brasileira da usina binacional de Itaipu. O projeto prevê a possível criação de uma sociedade de economia mista para administrar essas duas empresas, que permanecerão estatais.

As principais condições da desestatização, como a própria adesão à descotização, precisam ser aprovados em assembleia geral de acionistas da companhia.

O ministério ressaltou que a proposta também inclui obrigações relativas a ações para recuperação da Bacia do Rio São Francisco, ao longo de 30 anos.

“A proposta prevê a destinação de 9 bilhões de reais para esse fim durante o período da concessão”, diz a nota.

Nenhum comentário

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto, caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência. Comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados.
Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico.

SITE O CORREIO DE DEUS