De Judeu a traidor de Judeus: A história perturbadora de George Soros que todos deveriam saber

Nenhum comentário

O maior financiador do esquerdismo mundial nasceu em Budapeste, Hungria, em 1930, filho de pais judeus que o chamaram de Gyorgy Schwartz.

Na realidade o nome de George Soros não é George Soros, mas sim, Gyorgy Schwartz.

George Soros, como é conhecido, mesmo tendo origem judaica, não deixou de protagonizar um passado completamente negro e obscuro, onde através da traição ao seu povo, ajudou o fundador do partido nazista alemão.

Phil Butler, que escreve para Journal -neo.org, descreve as atividades de Gyorgy em 1944 e 1945: ". . Gyorgy vendeu o seu povo, os judeus aos nazistas e ainda ajudou a roubar e catalogar seus bens, enquanto os soldados de Hitler enviavam quase meio milhão de judeus húngaros para os campos de extermínio".

As experiências do então adolescente Gyorgy quando trabalhou com aqueles que mataram em massa o seu próprio povo, demonstram uma característica maquiavélica fundamental - um desrespeito narcisista para com os outros, desde que seu objetivo desejado fosse a todo custo alcançado.

No mundo de Soros, os fins justificam os meios. Depois de deixar a Hungria e partir para Inglaterra, Soros entrou na faculdade, formou-se na London School of Economics e mudou-se para a América, onde ganhou renome como comerciante da moeda. Soros invadiu a Libra britânica em 1992 para fazer seu primeiro bilhão.

Truthwiki.org relata que Soros literalmente "quebrou o banco da Inglaterra" nesse dia fatídico. Soros tornou-se uma das trinta pessoas mais ricas do mundo. Durante décadas ele usou seu dinheiro não apenas para quebrar os bancos, mas também para quebrar sociedades e reconstruí-las como ele bem entendesse.

A Fundação da Sociedade Aberta (OSF) opera em 100 países. Eles gastaram mais de $ 13 bilhões de dólares sob o disfarce das democracias em desenvolvimento, melhorando a educação, reformando a justiça criminal, assegurando a saúde pública e desenvolvendo plataformas de justiça social. Conforme relatado por Humanevents.com, os investimentos da OSF na América incluem Acorn, Planned Parenthood, Southern Poverty Law Center, Organização Nacional para Mulheres, Huffington Post e Media Matters, para citar alguns.

Soros também ajudou a iniciar a campanha presidencial de Barak Obama, ele deu milhões para a corrida 2017 de Hillary Clinton e também financia o Centro para o Progresso Americano - o grupo de reflexão que Jon Podesta, gerente da campanha de Clinton, supervisiona.

Soros não deixa uma crise desperdiçada. Conforme informado pelo Washington Times, Soros doou US $ 33 milhões para ajudar ativistas locais a fermentar a divisão racial em Ferguson, Missouri, uma ação que transformou "um evento criminal de um dia em uma causa nacional de 24 horas por dia".

O OSF recentemente deu US $ 10 milhões para "enfrentar o ódio" nos EUA mais outros US $ 500 milhões para "imigrantes, refugiados e comunidades de acolhimento". Mais o ódio e a divisão é o objetivo.

Soros acredita que os Estados Unidos devem se tornar subservientes às regras globais, incluindo o falso paradigma de aquecimento global / carbono. Ele também investiu na Monsanto e num laboratório na Serra Leoa que criou uma maldita doença chamada Ebola patenteada por CDC . Os leitores da Humanevents.com chamam o bilionário Soros de: ''o demagogo esquerdista mais destrutivo do país."

Fontes:

Journal-Neo.org

HarleyTherapy.co.uk

TruthWiki.org

OpenSocietyFoundations.org

HumanEvents.com

WashingtonTimes.com

OpenSocietyFoundations.org

GeorgeSoros.com

Science.NaturalNews.com

(News Target)

Traduzido e editado por Cezar Scholze (O CORREIO DE DEUS)

Nenhum comentário

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários.

Comentem, mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto, caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas, porém desde que tenham coerência. Comentários de links e propagandas de outras páginas não serão aceitos.
Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico.

Direção O CORREIO DE DEUS