Page Nav

HIDE

Classic Header

{fbt_classic_header}

ÚLTIMAS:

latest

Banalização do sexo: Holanda libera sexo como "pagamento" de aulas de autoescola

O governo da Holanda esclareceu que é legal instrutores (as) de autoescolas oferecerem aulas em troca de sexo, desde que os alunos (as) ...


O governo da Holanda esclareceu que é legal instrutores (as) de autoescolas oferecerem aulas em troca de sexo, desde que os alunos (as) sejam maiores de 18 anos. No entanto, é ilegal oferecer sexo em troca do serviço.

Os ministros dos Transportes, Melanie Schultz van Haegen, e da Justiça, Ard van der Steur, abordaram o tema em resposta a uma pergunta apresentada no Parlamento por um membro do partido conservador União Cristã. A dupla observou que, apesar da atitude ser 'indesejável', oferecer aulas de condução com o sexo como forma de pagamento não é ilegal.

Em uma carta ao Parlamento os ministros ressaltaram: "Não é sobre o oferecimento de atividades sexuais mediante remuneração, mas o oferecimento de uma aula de condução". 

"A iniciativa cabe ao instrutor de condução, e centra-se em oferecer uma lição de condução, com o pagamento previsto em atos sexuais. A prostituição é configurada quando um ato sexual é oferecido em troca de pagamento financeiro", concluem os ministros na carta.

Recentemente cresceu no país a procura por as aulas de condução em troca de sexo, ou "um passeio para um passeio", como a prática tem sido apelidada.

Holanda é o mesmo país que há tempos atrás virou notícia ao liberar uso de drogas e agora "voltou atrás" depois de ver que o consumo - e as consequências - estavam saindo do controle.

Quanto à Bíblia, o Apóstolo Paulo avisa:

"A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus.
1 Tessalonicenses 4:3-5

Banalização do sexo e das relações em geral desagrada à Deus, o mundo está caminhando cada vez mais para longe do propósito do nosso criador.

Por Leonardo Souza