sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Donald Trump procura via rápida para romper acordo climático de Paris


Aquecimento global é farsa, diz Trump, que estuda contornar acordo. EUA foram um dos 195 signatários; Obama defendeu pacto enfaticamente.

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, está procurando maneiras rápidas de retirar seu país do acordo global de combate à mudança climática, informou uma fonte de sua equipe de transição. A reviravolta desafia o amplo apoio mundial ao plano de corte de emissões de gases de efeito estufa.

Quatro dias antes da vitória de Trump na terça-feira (8), o Acordo de Paris de 2015 entrou em vigor, com o apoio de governos que vão da China a pequenos Estados.

Trump classificou o aquecimento global de farsa e prometeu romper com o Acordo de Paris, que foi defendido enfaticamente pelo atual presidente norte-americano, Barack Obama.

O Acordo de Paris, que é destinado a substituir o Protocolo de Kioto em 2020, é o primeiro pacto universal para tentar combater a mudança climática. Ele tem como objetivo manter o aumento da temperatura média mundial "muito abaixo de 2°C", mas "reúne esforços para limitar o aumento de temperatura a 1,5°C", em relação dos níveis pré-industriais.

O acordo foi aprovado por aclamação por representantes de 195 países na COP 21, em dezembro de 2015.

VEJA PRINCIPAIS PONTOS DO ACORDO DO CLIMA

- Países devem trabalhar para que o aquecimento fique muito abaixo de 2ºC, buscando limitá-lo a 1,5ºC

- Países ricos devem garantir financiamento de US$ 100 bilhões por ano

- Não há menção à porcentagem de corte de emissão de gases-estufa necessária

- Texto não determina quando emissões precisam parar de subir

- Acordo deve ser revisto a cada 5 anos

Os conselheiros de Trump estão analisando formas de contornar um procedimento que faz com que países signatários levem quatro anos para abandonar o pacto, segundo a fonte que trabalha com a equipe de transição a cargo de energia internacional e política climática.

"Foi uma irresponsabilidade o Acordo de Paris entrar em vigor antes da eleição", disse a fonte à Reuters, falando sob condição de anonimato.

O pacto parisiense conquistou endosso suficiente para ser colocado em prática no dia 4 de novembro, quatro dias antes da votação nos EUA.

No domingo, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, disse na Nova Zelândia que o governo Obama fará tudo que puder para implementar o acordo antes de Trump tomar posse.

Em seu Artigo 28, o acordo diz que qualquer país que queira se retirar depois de ter assinado precisa esperar quatro anos. Em teoria, a data mais próxima para isso seria 4 de novembro de 2020, na época da próxima eleição presidencial norte-americana.

A fonte disse que o futuro governo Trump está considerando alternativas para acelerar o rompimento.

São três: a) enviar uma carta retirando o país da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (UNFCCC, na sigla em inglês) de 1992, tratado que deu origem ao Acordo de Paris; b) encerrar o envolvimento dos EUA com ambos dentro de um ano ou c) emitir uma ordem presidencial simplesmente apagando a assinatura do país do acordo firmado na capital da França.

Sair do UNFCCC causaria polêmica, em parte porque ele foi assinado pelo ex-presidente republicano George H.W. Bush em 1992 e aprovado pelo Senado. A ação também colocaria os EUA em rota de colisão contra outros países.

Fonte: G1 
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.