domingo, 16 de outubro de 2016

Se Jerusalém é tão importante para o islamismo, por que não é citada no Corão?


O profeta Maomé nunca colocou os pés para fora da Península Arábica. A cidade só ganhou relevância para essa religião depois de sua morte

As mesquitas do Domo da Rocha (foto acima) e de Al Aqsa (abaixo), em Jerusalém, estão no centro dos protestos de palestinos contra israelenses e nos discursos de muitos terroristas. O lugar onde ficam é considerado como o terceiro mais sagrado do Islamismo, depois das cidades sauditas de Meca e Medina. Como explicar esse destaque se Jerusalém sequer é citada no Corão?

Em uma passagem desse livro de 621 d.C, conta-se que Maomé realizou uma viagem noturna entre o lugar da Mesquita Sagrada, que sabidamente era Meca, para a mesquita mais distante. Al aqsa, em árabe, quer dizer isso: mais longe. O trajeto foi feito no lombo de uma criatura mítica, Buraq, um animal branco alado, metade mula, metade cavalo. Desse ponto longínquo, “al aqsa”, o profeta subiu aos céus em uma escada milagrosa.

O texto não explicita em qual coordenada geográfica do planeta seria essa mesquita distante, al aqsa. Por isso, em algumas traduções do Corão, o nome Jerusalém aparece entre colchetes para evidenciar que foi enxertado depois. Na versão em português, o trecho em que cita-se al aqsa recebe uma nota no rodapé, onde se explica o seu significado: “Aqsa: extrema, distante. Trata-se da Mesquita de Jerusalém”.

Segundo a tradição islâmica, o Corão foi recitado pelo anjo Gabriel para Maomé ao longo de vários anos, entre 609 d.C e 632 d.C . Historicamente, sabe-se que o profeta nunca deixou a Península Arábica. Pela proximidade, quando a região da Palestina aparece no texto, é indicada como “a terra mais perto”. Na época do profeta, ela ainda não estava sob domínio muçulmano.

Só perto de 715 d.C é que Jerusalém foi vinculada como o lugar de ascensão de Maomé. Isso se deu quando a dinastia dos Omíadas, a primeira do islamismo, construiu duas mesquitas no Monte do Templo, em Jerusalém. A primeira foi o Domo da Rocha. Para a segunda, eles deram um nome emprestado do Corão, Al Aqsa. Como os Omíadas governaram um império enorme desde Damasco, atual capital da Síria, eles cuidaram de trazer a fé muçulmana para mais perto deles.

Outro ponto curioso é que, ainda durante a vida de Maomé, os muçulmanos chegaram a rezar em direção a Jerusalém. Em 622 d.C, quando o profeta entrou em Medina, encontrou muitos judeus. Para atrair seus moradores para sua fé, ele assimilou vários costumes locais. Entre eles, o de rezar virado para Jerusalém. Depois de criticas, Maomé mudou a direção para Meca. Contudo, quando fala de Jerusalém como a direção da reza que foi abandonada, o Corão se refere à cidade como “Síria”.

Siga no Twitter e Facebook.

Fonte: Veja
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.