sábado, 7 de maio de 2016

Vídeo: ONG pró-aborto vende órgãos fetais nos EUA


Vídeo feito com câmera escondida e que mostra diretora da Planned Parenthood falando de preços, métodos e quais tecidos são mais procurados, será investigada pelo Congresso americano

WASHINGTON — Líderes republicanos da Câmara dos Estados Unidos anunciaram investigação da ONG pró-aborto Planned Parenthood, um dia depois de ativistas anti-aborto divulgarem um vídeo em que a médica Deborah Nucatola, diretora principal de serviços médicos da Planned Parenthood, explica como vende tecido fetal a “preços razoáveis”, enquanto almoça num restaurante. O vídeo, divulgado pelo Centro para o Progresso Médico, foi feito com câmera escondida, contou com dois atores que fingiram interesse na compra de órgãos para pesquisa.

Segundo Deborah, os preços dos tecidos e órgãos do bebês abortados variam entre US$ 30 e US$ 100, dependendo do tipo. E que esses valores cobrados servem para bancar os custos com preservação, transporte ou envio.

Afirma ainda que “vende tecidos de fetos pós-parto e cadáveres, incluindo os fígados fetais e as células-tronco do fígado". E que os fígados fetais são muito procurados, assim como placentas, cordão umbilical, pele, tecidos e tumores doente. No vídeo, ela ainda cita um informe no site de outra marca, a StemExpress, da Califórnia, que se descreve como “a maior fornecedora de sangue materno e tecido fetal do mundo”.

A notícia sobre a divulgação do vídeo, que pode ser visto na íntegra no canal do Centro para o Progresso Médico, foi publicada por vários meios de comunicação dos EUA e os republicanos condenaram a atitude da ONG, já que é ilegal a venda de peças fetais.

O grupo com sede na Califórnia responsável pela captação das imagens, o Centro para o Progresso Médico, o fez em parceria com outro grupo anti-aborto, o Live Action.

Um porta-voz da Planned Parenthood, Eric Ferrero, disse por meio de comunicado, que a organização ajuda os pacientes que querem doar tecidos para pesquisa científica e que o fazem “como qualquer outro fornecedor de saúde, com consentimento completo do paciente, sob os mais altos padrões éticos e legais e sem nenhum benefício financeiro para o paciente e ou para ONG”.

Pesquisadores de universidades com centros médicos que realizam abortos podem obter tecidos fetais, mas empresas privadas também atuam como intermediários, vendendo para os pesquisadores. O Instituto Nacional de Saúde dos EUA, por exemplo, gastou US$ 76 milhões em 2014, em pesquisa envolvendo tecido fetal humano, e espera gastar a mesma quantia este ano.

Ao jornal The New York Times, Susan Fisher, que dirige o programa de células-tronco embrionárias humana da Universidade da Califórnia, em São Francisco, disse que esses tecidos são muito valiosos para se estudar o desenvolvimento humano e descobrir como eles funcionam.

— Podemos reprogramar células da mesma maneira para reparar processos de doença? Podemos ter uma melhor compreensão do tipo de desenvolvimento descontrolado que acompanha alguns tumores? — questiona a pesquisadora, que emenda: — Um monte de mulheres quer fazer essas doações na esperança de que possamos ter informações úteis a respeito.

Arthur Caplan, diretor de ética médica da NYU Langone Medical Center, afirmou que a prática descrita por Deborah no vídeo é claramente antiética. Isso porque a diretora da ONG explica no vídeo como é feito o procedimento com o objetivo de preservar os tecidos fetais.

— Você não pode, não deve, alterar a forma como ou quando se faz um aborto apenas para obter os tecidos que quer. Basicamente, a única preocupação é a saúde e a segurança da mãe — opinou Caplan, que acredita que a ONG deve ser investigada por peritos independentes e não por candidatos a presidência do Congresso.



Fonte:  O GLOBO
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.