terça-feira, 10 de maio de 2016

Ditadura LGBT: Carolina do Norte enfrenta governo por "lei de banheiros"


Da AFP

O governador da Carolina do Norte e o governo federal americano subiram as apostas na batalha sobre os direitos dos transexuais, apresentando demandas a respeito de uma lei estadual que restringe o uso dos banheiros públicos.

O confronto ocorre em meio a um debate mais amplo sobre a igualdade de direitos nos Estados Unidos, onde uma série de iniciativas envolvem as comunidades lésbicas, gays, bissexuais, transexuais (LGBT), após a aprovação da histórica decisão da Suprema Corte que legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em nível nacional.

A lei aprovada pela Carolina do Norte no dia 23 de março, exigindo que os transexuais usem os banheiros públicos que correspondem ao sexo de sua certidão de nascimento, provocou um escândalo nacional.

A procuradora-geral Loretta Lynch, que considera a Carolina do Norte seu estado natal, classificou a lei como "discriminação apoiada pelo Estado" e a comparou com as leis de segregação racial e de proibição do matrimônio entre pessoas do mesmo sexo.

Considerando que a lei "vai muito além dos banheiros", afirmou que "se trata da dignidade e do respeito que concedemos aos nossos cidadãos e às leis que como pessoas e como país adotamos para protegê-los".

Associações de direitos civis estimam que é irracional, impossível de aplicar, além de colocar em risco os transexuais.

As polêmicas leis encontraram oposição nacional de parte de associações de defesa de direitos de transexuais e da comunidade LGBT, além de várias empresas e estrelas do espetáculo.

Por exemplo, a empresa de pagamentos on-line PayPal cancelou no mês passado seu projeto de abrir um centro na Carolina do Norte que teria gerado 400 empregos. Figuras como Bruce Springsteen, Ringo Starr ou o grupo Pearl Jam cancelaram shows no estado.

Mas os partidários da norma dizem que ela é necessária para proteger as mulheres de agressões sexuais.

O governador da Carolina do Norte, Pat McCrory, apresentou na segunda-feira uma demanda contra o Departamento de Justiça em defesa da lei e pediu aos tribunais federais que decidam.

Por sua vez, o Departamento de Justiça apresentou uma contra-demanda de direitos civis, acusando a lei de ser discriminatória.

Lynch advertiu que o governo federal "considera a opção" de reter fundos federais destinados a este estado, colocando em questão bilhões de dólares em fundos de ajuda, incluindo os destinados à educação.

"Estamos com vocês"

Falando diretamente à comunidade transexual, Lynch disse: "A história está do seu lado".

"O Departamento de Justiça e todo o governo de Obama querem que saibam que vemos vocês, que estamos com vocês e faremos tudo o que pudermos para protegê-los em seus avanços", acrescentou.

O governador defendeu a lei como uma resposta necessária a uma ordenança da maior cidade da Carolina do Norte, Charlotte, que estendeu a proteção legal para orientação sexual e a identidade de gênero de seus habitantes.

"Isso causou uma grande preocupação sobre privacidade, com homens entrando em banheiros de mulheres ou mulheres entrando em banheiros de homens", disse McCrory aos jornalistas.

Fonte: Exame
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.