sexta-feira, 29 de abril de 2016

ONU: Paz entre Israel e Palestina está “mais distante do que nunca”


Em pronunciamento no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, o secretário-geral Ban Ki-moon fez um alerta: “A paz entre Israel e Palestina está ‘mais distante do que nunca”.

Ele citou como motivos para sua conclusão o aumento dos ataques dos palestinos contra israelenses, a expansão dos assentamentos de Israel e o aumento das demolições de residências palestinas na Cisjordânia. Para Ban Ki-moon, isso tudo fez com que a confiança “evaporasse” nas negociações por uma solução de dois Estados, deixando-a “mais distante do que já esteve por muitas décadas”.

Em seu balanço, o secretário-geral lembrou que a onda de violência nos últimos seis meses resultou em mais de 200 palestinos e cerca de 20 israelenses mortos e Israel continuou, em ritmo acelerado, construindo assentamentos judeus em locais que seriam “estruturas palestinas”. Em 2016 mais de 700 palestinos foram deslocados, número superior a todo o 2015.

A insistência da ONU em abordar o tema é ecoada pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) que emitiu recentemente uma resolução onde refere-se a Israel como a “força de ocupação” do território palestino. Também se nega a reconhecer o Monte do Templo como um antigo local de culto judaico – onde estava o templo de Salomão.

Pelo contrário, afirma que o complexo da Mesquita Al-Aqsa é “um lugar islâmico”. O texto do documento usa o nome árabe ‘Al-Buraq’ para se referir ao Muro das Lamentações.

Declara ainda as cidades de Hebron e Belém como “locais palestinos”. Com isso tenta apagar os locais mencionados na Bíblia como o “berço” do judaísmo (Gn 13) e do cristianismo (Mt 2). Não por coincidência, o material da UNESCO foi assinado por Jordânia, Argélia, Egito, Líbano, Marrocos, Omã, Qatar e Sudão, mostrando que o órgão está sendo controlado por nações muçulmanas.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu condenou fortemente a resolução. “Esta é outra decisão absurda das Nações Unidas. A UNESCO ignora a conexão histórica do judaísmo com o Monte do Templo (Al-Aqsa)”, declarou à imprensa.
França quer independência da Palestina

O assunto parece ser prioridade de organismos internacionais. Representantes de mais de 20 países e organizações como a ONU e a União Europeia se reunirão dia 30 de maio para debater uma “retomada urgente” do processo de paz entre a Palestina e Israel.

De acordo com a AFP, o encontro será em Paris, anunciou o chanceler francês, Jean-Marc Ayrault. “As partes estão mais afastadas que nunca”, ressaltou. “Não há outra solução ao conflito que o estabelecimento de dois Estados, israelense e palestino, que vivam lado a lado em paz e em segurança, tendo Jerusalém como capital compartilhada”. Ele insiste: “Não podemos ficar sem fazer nada, precisamos atuar antes que seja tarde demais”.

Explicou ainda que a base da reunião promovida pela França será a “Iniciativa de Paz Árabe”, de 2002. Segundo essa proposta, Israel deve abandonar todo o território ocupado desde 1967 e aceitar o estabelecimento de um estado da Palestina independente, cuja capital seria Jerusalém ocidental.

Curiosamente, não haverá delegações nem da Palestina nem de Israel nessa reunião. Se forem obtidos resultados esperados, a França irá promover uma cúpula internacional, que então convidará líderes israelenses e palestinos. 

O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.