quarta-feira, 27 de abril de 2016

O descalabro de uma nação: Ministro do Turismo empregou tia da mulher com salário de R$ 19,4 mil


BRASÍLIA - O atual ministro do Turismo, Alessandro Teixeira, empregou uma tia da mulher, a ex-miss bumbum Milena Santos, como secretária na Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). O órgão está vinculado ao governo federal e foi presidido por Teixeira até o fim da semana passada, quando foi empossado ministro pela presidente Dilma Rousseff. Após ser questionada pelo GLOBO, a ABDI informou que demitiu hoje a servidora.

A tia de Milena é Delfina Alzira da Silva Gutierrez, que ocupou uma função de confiança na ABDI com um salário de R$ 19.488,60. Trata-se de um cargo de assessoramento especial da diretoria de nível 3 (CAE-3). A ABDI é uma caixa-preta no governo e esconde contratações; cargos e funções desempenhadas; salários e diárias pagas a funcionários e diretores.

Teixeira é um nome de confiança de Dilma e coordenou o programa de governo da petista na campanha à reeleição. Um dos próceres do PT gaúcho e aliado de primeira ordem da presidente, chegou a atuar como assessor especial do gabinete presidencial. O economista foi escolhido para ser ministro do Turismo diante da debandada do PMDB, que incluiu ex-titular da pasta Henrique Eduardo Alves.

Apesar da relevância dentro do governo e de ter virado ministro, Teixeira era um servidor dos bastidores. Milena fez o marido sair do quase anonimato ao publicar em sua página no Facebook, na última segunda-feira, um ensaio de cinco fotos dentro do novo gabinete do marido. O ministro aparecia em três das cinco fotos. A ex-miss bumbum usava um decote ousado e escreveu na página social que acabara de se tornar "primeira-dama do Ministério do Turismo". "Ao lado de um grande homem, existe sempre uma linda e poderosa mulher", escreveu a modelo, que apagou a página na rede social depois da forte repercussão negativa do caso.

DEMISSÃO

Ao ser questionada pelo GLOBO por volta das 13 horas desta quarta-feira, a respeito da contratação de Delfina e da relação familiar dela com Milena, a ABDI informou que demitiu a servidora, às 16h30 desta quarta. "Em função da mudança de direção da ABDI, e consequente reestruturação do gabinete da Presidência, informamos que a senhora Delfina Silva Gutierrez foi desligada desta agência", diz nota do órgão.

O posicionamento é diferente do apresentado no dia anterior, quando a reportagem procurou a agência e o Ministério do Turismo para comentarem sobre a contratação. Ficou acertado entre os dois órgãos que caberia à ABDI dar uma resposta. "A senhora Delfina Silva Gutierrez não possui qualquer relação de parentesco ou consanguinidade com a senhora Milena Santos, esposa do ministro de Estado do Turismo", dizia a nota enviada ontem ao jornal.

Delfina é irmã da mãe de criação de Milena, e não da mãe biológica, que vive nos Estados Unidos. A modelo foi criada desde criança por essa mãe de criação. A informação foi confirmada por pessoas próximas ao ministro.

A assessoria do ministro reforçou nesta quarta que valia a nova nota da ABDI. O ministro disse via assessoria de imprensa que "não há qualquer parentesco consanguíneo e o cargo é de confiança". "Delfina atendia os pré-requisitos técnicos para desempenhar a função", afirmou o ministro, por meio da assessoria.

Antes de demitir a servidora, no primeiro posicionamento à reportagem, a ABDI também defendeu a "inquestionável experiência profissional e currículo para ocupar o referido cargo". "Sendo graduada em administração de empresas, fluente em inglês e espanhol. Com experiência de atuação nas áreas de relações internacionais, licitações nacionais e internacionais, contratos e convênios administrativos, além de vasto conhecimento nas áreas de petroquímica, aeronáutica e metalurgia", dizia a primeira nota enviada pela assessoria de imprensa.

Na ABDI, Teixeira tinha duas secretárias, sendo uma delas a tia de Milena. Uma terceira secretária foi retirada da função e alocada em outra unidade. A saída dele da agência, vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), não alterou a realidade de Delfina: ela ainda aparece como coordenadora de gabinete no órgão.

ABDI: SALÁRIOS TURBINADOS

Uma reportagem publicada pelo GLOBO em 28 de fevereiro revelou que a ABDI virou reduto de um grupo que atuou na campanha à reeleição de Dilma, com salários turbinados e pagamentos de altas diárias em viagens internacionais. Militantes da campanha trocaram cargos no governo por funções na agência com remunerações equivalentes ao dobro do que recebiam.

Ao assumir o comando da ABDI em fevereiro de 2015, com salário de R$ 39,3 mil, Teixeira abrigou no órgão mais três militantes da campanha, ocupantes de cargos de assessoramento especial da diretoria cujas remunerações variam de R$ 19,4 mil a R$ 25,9 mil. É mais do que o dobro do valor pago a esses assessores quando eles ocupavam cargos comissionados no Palácio do Planalto ou no Ministério do Planejamento.

Em junho do ano passado, o presidente da ABDI e demais diretores decidiram editar uma resolução — mantida sob sigilo e sem publicidade no site da agência — reajustando o valor das diárias para viagens internacionais da diretoria executiva. No continente americano, o valor saltou de US$ 400 para US$ 700. Fora da América, as diárias saltaram de € 320 para € 700.

Ministros de Estado, por exemplo, recebem entre 220 e 460 de diária, podendo optar por dólar ou euro e com variação de valor conforme o destino da viagem. Na ABDI, presidente e diretores podem viajar em classe executiva — assessores que os acompanham também têm direito ao benefício.

Fonte: O GLOBO
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.