sexta-feira, 18 de março de 2016

Curando o inimigo: Israel trata soldados Sírios feridos em combate


“Hudna! hudna!”, o vocábulo árabe que quer dizer trégua percorre como se fosse um mantra no térreo do hospital da Galileia Ocidental em Nahariya, uma cidade litorânea israelense ao lado da fronteira com o Líbano. 

Seu eco ricocheteia na ala dos sírios, quarenta homens em idade de combater internados com os mais variados ferimentos por tiro ou estilhaços. Eles se recuperam sob a custódia de soldados à paisana após sua internação nos hospitais de um país inimigo.

Israel e Síria nunca assinaram a paz. 

A linha de armistício de 1948 foi pelos ares na guerra dos Seis Dias e na do Yom Kippur, quando o Estado judeu se apoderou, primeiro, e manteve, depois, as Colinas de Golã. 

Quase moribundos, alguém os deixou de madrugada na porta da cerca da zona desmilitarizada de Quneitra, a cidade síria abandonada aos pés do território ocupado e anexado. Desde 2013, o Governo israelense autoriza por “razões humanitárias” o atendimento médico de aproximadamente 2.000 sírios vítimas do conflito. Para os casos de feridas traumáticas de guerra nessa região da Síria, essa é a única forma de sobrevivência.

A maioria dos pacientes chegou em meio a intensos combates no sul do país ao hospital da Galileia Ocidental, no qual receberam a notícia do primeiro cessar-fogo observado de forma geral em cinco anos de conflito. 


Alan, de 27 anos, coloca um gorro de lã para que as costuras que dão voltas por sua cabeça não o estigmatizem como um novo Frankenstein. “Nasci de novo, e agora quero voltar a uma Síria em paz”, diz enquanto um enfermeiro israelense examina seus ferimentos.

Como todos os pacientes da ala, será devolvido à Síria assim que se restabelecer. 


Não existem exceções quando se trata de cidadãos de um Estado com o qual Israel continua tecnicamente em guerra. Alan irá retornar imediatamente a Beilta, uma aldeia na província de Quneitra onde ninguém poderá saber que ele foi curado em um hospital israelense

Seus colegas de sala no hospital insistem em ocultar sua identidade e pedem ao fotógrafo para não serem reconhecidos nas fotos tiradas. Alguns, a maioria, defendem o cessar-fogo em vigor, outros acreditam que não durará muito. “O Governo cometeu muitos crimes”, alerta um dos pacientes.

Opinião:

Isso você simplesmente não vai assistir em nenhum jornal da TV, nem ler em revistas... pois a mídia é controlada pela Elite Mundial e o que eles mais fazem é alimentar e despertar o ódio e a antipatia das pessoas para com Israel.

Vai chegar o dia que as principais nações do mundo irão se juntar para marchar e guerrear contra Israel... isso é bíblico.

Leonardo Souza





Leonardo Souza
Leonardo Souza

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Um comentário:

  1. E, vai chegar o dia que as terras que foram roubadas de Israel voltarão para ele. Não foi homem quem as deu. É herança eterna! E, chegará o dia que
    Assim diz o Senhor dos Exércitos: Naquele dia sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla das vestes de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.
    Zacarias 8:23

    ResponderExcluir

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.