O menor detido confessou à Justiça belga ter cometido seis ataques contra homossexuais, juntamente com outros candidatos a se juntarem ao EI

AGÊNCIA BRASIL

As pessoas que vêm à Europa recrutar integrantes para combater junto ao Estado Islâmico (EI) obrigam os candidatos a atacar homossexuais, para demonstrar sua capacidade de lutar na Síria. A informação é da agência de notícias EFE, que cita o tablóide belga Het Nieuwsblad.

A denúncia foi feita por um combatente jihadista preso pela Justiça da Bélgica e os ataques – que teriam ocorrido no segundo semestre de 2015 – serviram para demonstrar que os recrutas eram 'bons jihadistas' e 'corajosos o suficiente' para combaterem na Síria.

O menor detido confessou à Justiça belga ter cometido seis ataques contra homossexuais, juntamente com outros candidatos a se juntarem ao EI, acrescentando que se não tivesse sido preso, “provavelmente estaria agora na Síria”.

Os atacantes percorriam os bairros gays de Bruxelas e atraiam as vítimas, indo com elas para casa, onde as maltratavam até revelarem onde tinham dinheiro e outros objetos de valor.

Segundo um dos investigadores, os ataques também serviam para arrecadar fundos aos combatentes na Síria. O suspeito dos atentados de Paris em novembro, que ainda está foragido, Salah Abdeslam, foi visto em bares frequentados por homossexuais dias antes dos ataques.

Fonte: O tempo

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.