O Seu portal conservador de notícias, Evangelismo e Informação em defesa da fé Cristã

  • Últimas Notícias

    26 fevereiro 2016

    Igreja Hillsong atrai Justin Bieber e busca abrir sede em São Paulo


    Igreja evangélica australiana 'descolada', presente em 15 países, aposta em cultos que parecem shows de rock; filial brasileira será segunda unidade na América do Sul.

    De jeans rasgados na altura dos joelhos, jaqueta de couro justa ao corpo e corte de cabelo "undercut" - adotado por Brad Pitt e David Beckham -, o pastor Chris Mendez discursou em São Paulo para centenas de fiéis. Todos pareciam ter grande interesse em fazer parte de uma das igrejas evangélicas de maior ressonância - e descoladas - do momento: a australiana Hillsong Church.

    Fenômeno gospel mundial, a Hillsong também é um selo musical altamente lucrativo e de alcance mundial. As canções gravadas por suas quatro bandas (Hillsong Worship, Hillsong United, Young & Free e Hillsong Kids) já ultrapassaram a marca de 16 milhões de álbuns vendidos.
    Em 2015, a United recebeu o Billboard Music Awards de melhor artista cristão e se prepara para lançar o documentário Hillsong - Let Hope Rise, dirigido por Michael John Warren, que já documentou o rapper Jay-Z e a cantora Nicki Minaj.

    Nas filiais espalhadas pelo mundo, é comum encontrar personalidades famosas, como a modelo Kendall Jenner, a cantora e atriz Vanessa Hudgens e o músico Nick Jonas. Mas ninguém elevou tanto a popularidade da Hillsong nos últimos meses quanto o cantor pop Justin Bieber.

    "Quero conhecer Jesus", teria pedido o ídolo aos prantos ao amigo Carl Lentz, o pastor de braços tatuados que anda por Nova York ostentando grifes de luxo, como Saint Laurent. 

    Momentos depois, Bieber foi batizado, na banheira do jogador de basquete Tyson Chandler.
    (Assim mesmo, sem conhecer a Palavra de Deus, sem mudança de vida, sem a devida orientação.... o que valeu foi o marketing e pronto!)

    O professor Ricardo Mariano, pós-doutor em Sociologia da Religião pela Universidade de São Paulo (USP), afirma que a Hillsong percebeu que, nos tempos atuais, o entretenimento é a chave para o sucesso.

    "O entretenimento é a isca para atrair o público mais jovem que não quer ficar sentado ouvindo pregação do pastor, e a Hillsong faz isso muito bem", diz.
    "As produções dos shows são feitas para envolver o público e levá-lo a um clima de contemplação e êxtase", analisa Marli Batista Ávila, coordenadora do curso de Produção Musical da Universidade Anhembi Morumbi, que destaca os recursos visuais, da tecnologia aos figurinos estilo "urban chic" dos vocalistas.
    A combinação de superproduções musicais, letras religiosas intimistas e a energia de clube noturno atinge em cheio os mais jovens.

    "Apesar da atitude ousada no plano estético, a Hillsong mantém o mesmo discurso conservador de todas as outras", observa Mariano, da USP.

    Em uma recente polêmica envolvendo fiéis gays, a igreja mostrou que mantém a visão "tradicional" evangélica de aceitar apenas a união entre homens e mulheres, mas que "aceita" pessoas de todas as orientações sexuais.

    A polêmica veio à tona quando grupos evangélicos americanos denunciaram que um casal gay teria liderado um culto da igreja em Nova York.
    Diante da polêmica, Brian Houston, o pastor fundador da igreja, publicou um longo texto intitulado "se eu amo os gays?", em que explica que fiéis LGBT's são bem-vindos na igreja, porém não podem ter cargos de liderança.

    As semelhanças com as igrejas pentecostais brasileiras (como Universal e Mundial) passam também pela defesa da castidade até o casamento e pela teologia da prosperidade, com direito ao livro You Need More Money (Você precisa de mais dinheiro), escrito pelo pastor Brian Houston.

    Pelo estilo de vida ostensivo, Houston e sua esposa, Bobbie, são criticados com frequência pela mídia australiana, assim como as altas quantias arrecadadas pela igreja. Segundo o jornal Sydney Morning Herald, a igreja arrecadou, em 2014, cerca de 80 milhões de dólares australianos (R$ 228 milhões) na Austrália e outros 100 milhões (R$ 285 milhões) no resto do mundo.

    Opinião

    A grande confusão que ocorre hoje nas igrejas foi profetizada pelo próprio Jesus como mais um sinal da sua iminente volta: APOSTASIA - que significa "afastamento".

    Vejamos o que o próprio Jesus e o apóstolo Paulo (inspirado por Deus) falam a respeito na Bíblia:

    "Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. 
    E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. 
    Mas, aquele que perseverar até ao fim será salvo." 
    Mt 24:10-13

    "Mas, o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrina de demônios." 
    I Tm 4:1

    E é exatamente isso que temos visto atualmente, pessoas que proclamam ser cristãs, mas que não têm testemunho de vida de cristãos, não andam de acordo com o evangelho, não praticam a Palavra de Deus nem apresentam sinais de mudança de vida ou arrependimento de pecados... e com isso contribuem com o afastamento de outras pessoas do verdadeiro caminho que nos leva à Deus.

    O diabo mudou sua estratégia:

    Se antes a ideia era manter as pessoas longe das igrejas para não ouvir o evangelho, hoje o plano é manter as pessoas em igrejas mornas, sendo enganadas por falsas doutrinas.
    Isso só ocorre porque as pessoas preferem ouvir mentiras nas igrejas, do que ouvir a verdadeira palavra de Deus.


    Grande parte dos que se dizem cristãos preferem congregar onde os louvores são a maior parte do culto, a pregação é "suave" e não são confrontadas com a Palavra.
    Infelizmente as igrejas estão repletas de pessoas vivendo em fornicação, vivendo em adultério, em homossexualismo... sem que os pastores confrontem devidamente com a Palavra de Deus, pois muitas vezes é mais interessante ter a igreja lotada do que pregar o verdadeiro evangelho.

    Jesus recebia todo o tipo de pessoas com todos os tipos de pecados sim (publicanos, prostitutas, leprosos...) mas ele os chamava a se arrepender, abandonar seu pecado e mudar de vida... Jesus não ficava inerte aguardando que um dia eles resolvessem mudar de opinião.

    Deus não é conivente com o pecado!

    Temos que ficar alertas com as coisas que ouvimos a respeito do evangelho, buscar conhecer cada vez mais a Palavra de Deus e, principalmente, observar o testemunho de vida das pessoas que pregam o evangelho, para que não sejamos facilmente enganados por falsas doutrinas.

    Somente os cristãos que procuram viver em santidade na Palavra, que buscam conhecer cada vez mais sobre Deus e abrem mão dos seus próprios desejos e vontades em obediência à Sua vontade verão a Glória de Deus.

    Paz

    Por Leonardo Souza

    Sobre

    Exclusivamente voltado para matérias informativas em questões apologéticas, notícias e estudos bíblicos, este site tem o objetivo de servir como ferramenta de evangelização bem como alerta e preparo à igreja cristã sobre os últimos eventos que antecedem a Volta Gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.

    Termos de Uso

    Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir os artigos em qualquer formato, desde que informe o(a) autor(a) e a fonte do artigo, bem como as fontes intermediárias, inclusive o Site "O Correio de Deus". Não é permitido a alteração do conteúdo original sem a devida notificação de alteração em cópia extraída deste site e muito menos a utilização para fins comerciais.
    Licença Creative Commons
    Este trabalho está licenciado com uma Licença