Da  AFP

Um grupo de especialistas das Nações Unidas concluiu que o lançamento pelo Irã de um míssil balístico em outubro constitui uma violação das resoluções que punem Teerã.

Quatro países (Estados Unidos, Alemanha, França e Reino Unido) pediram que especialistas investigassem o lançamento de um míssil Emad em 10 de outubro, para determinar se violava a resolução 1929 do Conselho de Segurança.

Os especialistas "concluem que o lançamento (do míssil) Emad é uma violação por parte do Irã do parágrafo 9 da resolução", indica o informe.

O grupo de especialistas "estima que o Emad tem um alcance de ao menos 1.000 km e com uma capacidade de 1.000 quilos, e que este lançamento foi realizado utilizando a tecnologia dos mísseis balísticos".

A resolução 1929, e em particular seu parágrafo 9, proíbem Teerã de realizar atividades relacionadas com mísseis balísticos que poderiam transportar armas nucleares e realizar lançamentos que requerem esta tecnologia.

Teerã afirma que seus mísseis balísticos são puramente defensivos e que não foram projetados para transportar armas nucleares, e que por isso não estão sujeitos às restrições da ONU.

As conclusões dos especialistas poderiam levar a novas sanções do Conselho de Segurança contra o Irã, mas diplomatas consideram improvável.

Para punir o Irã seria necessário a aprovação da China e da Rússia, que podem bloquear qualquer decisão a este respeito, utilizando o seu veto.

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.