quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Israel prende radicais judeus ligados a incêndio a casa de palestinos


As prisões acontecem após o Ministério da Defesa dizer que a ação tinha envolvimento de extremistas judeus, mas sem apresentar provas

O governo de Israel anunciou nesta quinta-feira (3) a prisão de diversos extremistas judeus acusados de terem ligação com os autores do incêndio criminoso à casa de uma família palestina na Cisjordânia em julho.

O ataque, em que morreram queimados um casal e um bebê de 18 meses, é visto como um dos motivos para a onda de violência entre israelenses e palestinos que se intensificou em outubro no Oriente Médio.

Segundo a Shin Bet, a agência de inteligência interna de Israel, os presos são jovens membros de um grupo terrorista judeu e que agentes conseguiram confirmar suspeitas concretas de ligação com o incêndio criminoso.

As prisões acontecem após o Ministério da Defesa dizer que a ação tinha envolvimento de extremistas judeus, mas sem apresentar provas. O ataque aos palestinos foi condenado por diversos setores políticos de Israel.

As prisões ocorrem quase cinco meses após o crime. A demora nas investigações fez com que os palestinos acusassem a Justiça de Israel de avaliar o caso de forma injusta e desigual por se tratarem de árabes.
O único sobrevivente do atentado à casa da família Dawabsheh, em Duma, foi Ahmad, 4, que ainda está internado em um hospital de Tel Aviv. Seus pais morreram na hora e seu irmão, horas depois de receber atendimento médico.

NOVO ATAQUE

Nesta quinta (3), a Cisjordânia foi palco de um novo confronto entre israelenses e palestinos. Um homem palestino foi morto depois de abrir fogo contra soldados israelenses perto do vilarejo de Hizme, na periferia de Jerusalém.

Um militar e um civil de 47 anos, ambos israelenses ficaram levemente feridos. O ataque, porém, não segue o padrão das últimas ações de palestinos contra israelenses, normalmente ataques a facadas ou atropelamentos.

Desde meados de setembro, o conflito deixou 19 mortos do lado de Israel, dentre eles um eritreu e um americano. Ao menos 101 palestinos morreram, dos quais 66 foram considerados autores de ataques pelo Estado judaico.

Fonte: O tempo
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.