terça-feira, 20 de outubro de 2015

Irã testa foguetes nucleares que podem atingir Israel


No início de outubro, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, fez um discurso histórico na sede da ONU, calando durante cerca de 45 segundos os representantes diplomáticos. Ele denunciou o acordo nuclear das potências mundiais com o Irã, afirmando que o governo de Teerã não é confiável.

Cerca de uma semana depois, o Irã testou um míssil de médio alcance, capaz de carregar ogivas nucleares. Não está claro se este é o caso do projétil disparado por Teerã. Analistas afirmam que o míssil pode alcançar até 800 milhas (1.287 quilômetros), o suficiente para chegar a Israel.

Essa é uma “clara violação” à proibição do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas a testes de mísseis, limitou-se a dizer os Estados Unidos, maior avalista do acordo.

Segundo a BBC, a embaixadora norte-americana na ONU, Samantha Power, emitiu nota dizendo: “Os Estados Unidos estão profundamente preocupados com o recente lançamento do míssil balístico do Irã”.

O governo iraniano nega ter violado o acordo nuclear que assinou em julho. O vice-ministro de Relações Exteriores do Irã, Abbas Araghchi, declarou que o país não comprometeria sua defesa nacional, segundo o Kayhan.


Lembra que o documento assinado com as potências mundiais, diz respeito apenas ao controle do programa nuclear do Irã. Ou seja, limita o número de centrífugas para o enriquecimento de urânio em operação e a modificação das suas instalações nucleares.

A resolução do Conselho de Segurança proibiria o Irã de realizar atividades com mísseis balísticos que podem transportar armas nucleares por pelo menos oito anos.  Agora, os Estados Unidos pedirão que sejam tomadas as “ações cabíveis” junto à Organização das Nações Unidas. Seu pedido deve ser analisado pelo Conselho de Segurança da ONU.

Nos últimos anos, o Irã ameaçou eliminar Israel do mapa várias vezes, chegando a divulgar que faria isso em 9 minutos com um ataque nuclear. O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, ordenou que todas as forças armadas islâmicas do mundo deveriam se preparar para a guerra contra Israel. 

Para os radicais muçulmanos do Irã, uma das formas de acelerar a chegada do último profeta do Islã, o Mahdi, é uma “grande turbulência” no Oriente Médio. Essa também é a motivação do Estado Islâmico.

A vinda desse profeta é esperada por milhões de muçulmanos em todo o mundo. Ele viria para governar o mundo e derrotar os inimigos dos que servem a Alá. Curiosamente, sua chegada seria precedida pela volta de Jesus Cristo, Esse Cristo levaria judeus a muçulmanos a aceitar o Islamismo.

FONTE: Gospel Prime e Curiosidades
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.