quarta-feira, 15 de julho de 2015

Acordo nuclear com o Irã pode resultar em guerra contra Israel


Primeiro-ministro israelense condena assinatura: “erro histórico”

Ontem (14) foi finalmente assinado o acordo nuclear com o Irã. Há semanas o grupo liderado pelos EUA, mais as quatro potências integrantes do Conselho de Segurança da ONU (Rússia, China, França e Reino Unido), com participação da Alemanha, retiraram as sanções econômicas que atingiam principalmente o comércio do petróleo iraniano.
Com isso, o programa nuclear iraniano ficará “restringido” por mais uma década, sob supervisão da ONU. Isso não significa que o país ficará impedido de desenvolver armas atômicas.
A expectativa é que haja uma injeção na economia local de bilhões de dólares, melhorando significativamente a vida dos cidadãos iranianos. O presidente Barak Obama, admite que o acordo “não é baseado na confiança, mas em capacidade de verificação”.
Por sua vez, o presidente Hassan Rouhani, afirmou em discurso hoje que o Irã não deseja criar uma bomba atômica. Analistas, contudo, acreditam que passado o prazo do acordo (10 anos), os iranianos poderão retomar plenamente seu programa nuclear.
Israel acredita que os milhões de dólares que o regime iraniano ganhará a partir de agora será usado para aumentar o terrorismo no mundo. O principal destino seria o apoio ao Hezbollah, visto como inimigo por Israel e Arábia Saudita. A ONU reconhece que existe um programa nuclear iraniano, mas ele seria focado a partir de agora em fins civis, como geração de energia.
O governo Obama fez um grande esforço para assinar o acordo agora acreditando que o governo de Rouhani é “moderado”. Mesmo assim, a imprensa americana divulgou amplamente que os EUA ainda consideram o Irã patrocinador do terrorismo.
Em seu discurso oficial para comentar o acordo, o presidente Benjamin Netanyahu, classificou-o de “erro de proporções históricas”, e anunciou: “Enquanto o espetáculo com o Irã continua, o país está prestes a fabricar a bomba nuclear e dispõe de milhões de dólares para o terrorismo e ataques”.
Deixou claro ainda que “nos comprometemos em impedir que o Irã consiga ter armas nucleares, e esse compromisso se mantém”. O premiê israelense lembrou que na semana passada ocorreram manifestações pelo “dia de Jerusalém”. Milhares de muçulmanos saíram as ruas no Irã e outros países muçulmanos, com faixas e cartazes pedindo “Morte aos EUA” e “Morte a Israel”.
Sites de notícias registram que este ano Rouhani não apareceu publicamente, mas declarou que não podia deixar de manifestar o “seu desagrado com o regime sionista [de Israel] e as forças terroristas”. O jornal The Jerusalem Post informa que o aiatolá Mohammad Taqi Vaezi, membro da Assembleia de Especialistas do Irã, foi visto gritando “Morte ao regime sionista” e acusando os israelenses de “agressão”.

Para muitos teólogos especialistas em profecias bíblicas, o cenário que se desenha hoje no mundo é comparado ao texto de Ezequiel 38-39, o que a Bíblia descreve como a Guerra de Gogue e Magogue.

Haverá grandes nações do mundo unidas na batalha contra Israel:
1 – a federação de dez reinos, que constitui um grande Império Mundial;
2 – a federação do Norte, (Rússia e seus aliados, como Turquia);
3 – os reis do Leste, povos além do Eufrates (Irã);
4 – o rei do Sul, poder ou coligação de poderes do Norte da África (Egito e Sudão).
Um vídeo de uma profecia de 2011, do pastor nigeriano David Owuor, foi compartilhada muitas vezes nas redes sociais.

Com informações de Haaretz, Estado de Israel e El País

Gospel Prime
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.