Um importante discurso foi organizado em Konya, local de nascimento do primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, e em sua presença diante de uma multidão eufórica gritava no estilo nazista Davutoğlu pode ser visto entusiasmado com as declarações proferidas pelo líder do Hamas, Khalid Mashal.

O discurso inflamado saudado Turquia liderado por Erdogan e Davutoglu como representante e chefe de todo o mundo muçulmano e elogiou-o para a invasão logo de Jerusalém na próxima guerra mundial.
No discurso, que não foi ao ar em grandes meios de comunicação e após a multidão se acalmar depois dos seus cantos de estilo nazista, Mashal lembrou que “Jerusalém é o primeiro centro de orientação para os muçulmanos. Foi Konya que em 1980, quando Jerusalém foi ameaçada subiu para Jerusalém e para o Monte do Templo Al-Aqsa“. Olhando para o futuro próximo Mashal declarou:


Como a Turquia por séculos foi o principal defensor de Jerusalém e Al-Aqsa, mesmo com você é o centro da Umma muçulmana (nação muçulmana), que irá realizar a missão de libertar Jerusalém e al-Aqsa .

Na marca do vídeo 06:10 Khalid Mashal declarou:

"Sabe disso, que a forte Turquia é a força da Palestina e de Jerusalém".

Em torno da marca de 7:14, ele exclamou:

"A Turquia é a força que representa todas as nações muçulmanas" .

O canto naquele momento fez uma pausa e, em uníssono gritou “Allahu Akbar”

Há uma imagem de Davutoglu em frente da multidão; ele pode ser visto ao lado de um jovem rapaz:


Ahmet Davutoglu, o braço direito de Erdogan, é visto aplaudindo instantaneamente em júbilo tais afirmações e o momento que Khalid Mashal falou de conquistar Jerusalém com as multidões levando bandeiras que se originam a partir das cores favoritas turcos em que os otomanos se orgulhavam com o “vermelho impetuoso, jacinto azul, e de enxofre “(Apocalipse 9:17) que são também as cores das bandeiras que os neo-otomanos gostam de conduzir. Em todas as vezes pode-se ver Davutoglu, sorrindo de alegria. Mashal complementou o partido islâmico AKP da Turquia, de suas realizações no que ele chamou de “velocidade relâmpago de ter realizado o que eles conseguiram para o avanço do mundo muçulmano”. “Alá está conosco e é com você para a vitória”. Mashal lembrou da guerra contra Israel. Ele terminou seu discurso lembrando que ele vai convidar Erdogan e Davutoglu no Monte do Templo: “Fomos recebidos em Istambul e agora em Konya e amanhã vamos recebê-lo na plataforma da Al-Aqsa (Monte do Templo) nos próximos conferências, pela vontade de Alá “. É óbvio que isso significa: o governo turco quer invadir Jerusalém, em uma guerra santa, ou uma jihad. A III Guerra Mundial será, então, sobre Jerusalém, o que indica um evento vinda gloriosa: as Cruzadas serão relançadas, e a Cruzada final ocorrerá. O que é muito triste, porém, é que o mundo muçulmano ainda tem o espírito da jihad, e nós, no Ocidente ainda estejamos presos na mentalidade do Iluminismo, em que a idéia da guerra santa ou uma Cruzada é zombado e visto como loucura e onde as guerras seculares são elogiadas sobre as guerras religiosas. Devemos reviver o espírito da Guerra Santa, porque nenhuma guerra secular vai extinguir totalmente os inimigos do cristianismo. Com as guerras seculares, não é uma invasão, batalhas, e depois compromisso. Em guerra religiosa não há nenhum compromisso, apenas obliteração do mal para a causa do bem. Extraído do Blogaultimatrombeta DeOlhOnafigueira

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.