sábado, 20 de dezembro de 2014

O SUS vai parar? O AVISO DE QUE O SUS VAI PARAR

Clique na foto para ampliar
GESTORES DE HOSPITAIS PRIVADOS E FILANTRÓPICOS SE REÚNEM NA CAPITAL, PARA DEFINIR QUE MEDIDAS SERÃO TOMADAS EM FUNÇÃO DA FALTA DE PAGAMENTO DO SUS.Fonte: AHESC-FEHOESC-FEHOSC

O Ministério da Saúde não honrou seu compromisso com os hospitais que atendem a Média e Alta Complexidade. Apesar de ter afirmado em nota que a primeira parcela do pagamento de novembro seria depositada nessa terça-feira, dia 16, os valores não foram repassados. Cerca de 55% dos R$ 3,5 bilhões destinados à MAC são referentes aos serviços prestados pelos hospitais filantrópicos. A dívida global do Setor, que reúne os déficits com bancos, fornecedores e dívidas tributárias, deve chegar a R$ 17 bilhões até o final do ano.
“O Ministério da Saúde fez um anúncio pela imprensa e pelo Fundo Nacional de Saúde de que pagaria. Criou expectativa, mas até agora, nada. É um calote, que terá consequências. Se não temos como pagar nossos funcionários, vamos ter de suspender o atendimento”, disse o presidente da Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB), Edson Rogatti. A CMB apurou que o calote foi do Tesouro Nacional, que não repassou os recursos, deixando o Ministério da Saúde em uma situação desconfortável.

As Santas Casas e hospitais filantrópicos são responsáveis, atualmente, por mais de 50% dos atendimentos do Sistema Único de Saúde (SUS), em geral; e por mais de 60% dos atendimentos oncológicos, das neurocirurgias e dos transplantes. Em muitos municípios de até 30 mil habitantes, as instituições são as únicas unidades de saúde.
O valor a ser repassado pelo Ministério da Saúde a rede hospitalar de Santa Catarina está estimado em 50 milhões. E para agravar ainda mais a situação da rede hospitalar de Santa Catarina os recursos devidos aos hospitais pela produção das cirurgias eletivas que desde 2011 produziram o equivalente ha 65 milhões de reais dos quais foram pagos 52 milhões de reais restando a receber 13 milhões de reais. Recente portaria publicada libera para Santa Catarina 6 milhões de reais para pagamento dos procedimentos eletivos, a portaria foi publicada mas, até o momento o valor não foi creditado. Não recordo, desde o inicio do Plano Real, há vinte anos, ter havido atraso no pagamento dos repasses do SUS pelo Governo Federal. Estamos vivendo uma época de incertezas e de extrema crise governamental. A saúde, continua, não sendo prioridade do Governo. É uma vergonha a forma pela qual somos tratado. Que governo é este que trata tão mal uma das áreas mais importantes para o povo – a SAÚDE. Esperamos que em 2015 sejamos tratados com dignidade. A rede hospitalar está cansada e insatisfeita e senão tivermos uma resposta digna e eficiente estamos propensos ha CANCELAR todos os atendimentos aos usuários do SUS. Desejamos que o Governo responda por sua atitudes e por sua incompetência, desabafa Hilário Dalmann – Presidente da Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas de Santa Catarina.

MESMA NOTÍCIA DE OUTRA FONTE:

O Governo Federal ainda não repassou o pagamento aos estados e municípios, referente aos serviços prestados da rede hospitalar ao Sistema Único de Saúde (SUS), no mês de novembro. O pagamento é referente aos procedimentos de média e alta complexidade, como cirurgias, transplantes e emergências, e equivalem a uma dívida superior a R$ 3 bi.

O Tesouro Nacional não repassa e não informa a disponibilidade de recursos para o Ministério da Saúde e já sinalizou que ainda não tem data provável para efetuar o referido crédito.

O repasse do Fundo Nacional de Saúde costuma ser realizado até o quinto dia útil de cada mês. Para o mês de dezembro, devido ao atraso, foi informado que 70% do pagamento deveria ser repassado no dia 16/12/14 e os 30% restantes da dívida seriam pagos até o dia 5 de janeiro, mas o Governo Federal ainda não justificou a falta do pagamento.

A Federação Brasileira de Hospitais orientou a rede hospitalar privada a suspensão imediata dos atendimentos ao SUS, exceto os casos de emergência com risco de morte.

Nesta condição, significa que não haverá recursos para o Ministério da Saúde em 2014 cumprir com o pagamento e conclui-se que o mês de janeiro de 2015 certamente já estará comprometido.

O presidente da Federação Brasileira de Hospitais, Luiz Aramicy Pinto, está disponível para prestar esclarecimentos sobre o assunto.

Fonte: Federação Brasileira de Hospitais
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.