segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Francisco e suas heresias: Papa diz que cristãos e muçulmanos são “irmãos viajando pelo mesmo caminho”


Mais uma vez a Turquia é o centro das atenções no que se refere ao movimento ecumênico cristianismo-islamismo. O papa Bento XVI, que visitou o país em 2006, havia feito orações ao lado do grão-mufti de Istambul, um dos mais importantes líderes religiosos turcos. O detalhe é que o fez seguindo as tradições islâmicas, com a cabeça voltada pra Meca, local de nascimento do profeta Maomé. Na ocasião, o papa alemão recebeu críticas tanto de católicos quanto de muçulmanos conservadores.
O ato foi repetido pelo papa Francisco neste sábado (29) em seu segundo dia de visita oficial à Turquia. Na Mesquita Azul, importante local de adoração islâmico, na cidade de Istambul. Ele estava ao lado de Rahmi Yaran, atual grão-mufti. Durante a cerimônia, o papa seguiu a tradição islâmica, retirando seus sapatos ao entrar no templo.

Desde o primeiro dia da visita, Francisco apelou por um “diálogo intercultural e inter-religioso”. Curiosamente, do lado de fora, crianças em idade escolar seguravam bandeiras da Turquia e do Vaticano. Eles gritavam “Viva o Papa Francisco” ao mesmo tempo em que o minarete da praça central chamava os muçulmanos para a oração.
Ontem, durante sua passagem em Ancara, o papa Francisco exortou a Turquia e o Oriente Médio a participar de um “diálogo intercultural e inter-religioso” e pediu o fim “de todas as formas de fundamentalismo”.
Por sua vez, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, depois de seu encontro com Francisco, afirmou ter preocupação com o aumento da “islamofobia” no mundo. Pediu ainda que cristãos e muçulmanos se unissem para lutar contra o preconceito.
A visita do pontífice é vista por analistas como um esforço para fomentar as relações inter-religiosas. Ao falar sobre a guerra no Iraque e na Síria, onde membros do Estado Islâmico rotineiramente matam cristãos, enfatizou seu desejo de ver “a solidariedade de todos os crentes”, equivalendo fiéis católicos e muçulmanos.
Pediu ainda que “fosse mais fácil verem uns aos outros como irmãos e irmãs que estão viajando pelo mesmo caminho”. Tal declaração seria vista com horror durante boa parte da história, principalmente na Idade Média quando os dois grupos travaram guerras sangrentas, chamando-se mutuamente de “infiéis”.
O esforço de união religiosa continuou no encontro com o Patriarca de Constantinopla, Bartolomeu I e líderes de todas as outras comunidades cristãs turcas. O encontro foi um passo importante na tentativa de reunificação das duas vertentes do cristianismo, separadas há quase mil anos.
Os dois líderes firmaram uma declaração conjunta que mostra a disposição de reatar os vínculos rompidos. O papa insistiu que o Vaticano “não pretende impor nenhuma exigência, exceto a profissão de fé comum”.
Esse é um episódio significativo diante do fato que a população cristã turca diminuiu muito no último século. Vários líderes temem que o fato de Erdogan defender veementemente o islamismo, ao contrário de muitos e seus antecessores, signifique uma postura cada vez menos tolerante, especialmente após a nação receber quase dois milhões de refugiados da Síria, a maioria de origem cristã.
O fato de Francisco ter demonstrado tanta aproximação com os muçulmanos na Turquia chama atenção. O último grande império a levar a mensagem de submissão a Alá foi o Otomano, cuja sede ficava na atual Turquia.
Recentemente, ocorreu na capital Istambul o encontro da União Internacional de Sábios Muçulmanos, chamada por especialistas em profecias bíblicas de “Confederação do Anticristo”. Este mês, a cidade também hospedou um encontro de líderes muçulmanos da América Latina, que estabeleceu planos para o avanço do islamismo no único continente do mundo onde eles não têm presença significativa. Com informações de Christian Post e Folha de SP

Gospel Prime
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Um comentário:

  1. Tá muito na cara. Evidente demais. Eu não sei que papel este papa terá, mas que é um ótimo candidato a falso profeta. Relativizou a verdade Bíblica da Criação apoiando a Evolução, tirando a literalidade de Gênesis.

    ResponderExcluir

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.