sábado, 29 de novembro de 2014

Suposta rede de padres pedófilos abala igreja espanhola e imobiliza papa Francisco


Uma investigação sobre supostos casos de pedofilia cometidos por sacerdotes e padres na cidade de Granada, no sul da Espanha, vem sacudindo o Vaticano. Pela primeira vez em sua gestão, o Papa Francisco pediu perdão pessoalmente a uma suposta vítima de abusos sexuais cometida por religiosos, como parte de uma política de tolerância zero que ele vem adotando contra a pedofilia dentro da igreja católica.

Nesta quarta-feira, a Justiça recebeu outra denúncia de abuso sexual cometida por um padre da catedral de Granada. Três sacerdotes e um professor de religião já estão presos, e nesta quarta-feira prestaram depoimento ao juiz responsável pelo caso. A imprensa local denunciou ainda o roubo de computadores da Diocese de Granada na semana passada.


O caso veio à tona após um professor de 24 anos escrever uma carta ao Vaticano no início deste ano denunciando abusos sexuais. Em cinco páginas, ele contou ter sido abusado por um padre da catedral de Granada dos 13 aos 18 anos.

Em agosto, para sua surpresa, o professor recebeu uma ligação em seu celular do próprio Papa Francisco. O pontífice disse ter lido a carta e, por isso, queria pedir desculpas pessoais por todo o sofrimento que o episódio possa ter lhe causado em todos esses anos.

Papa ordena investigação interna sobre o caso

O Vaticano reconheceu a veracidade da história e o Papa Francisco ordenou uma investigação interna sobre o caso.Em paralelo, o professor espanhol também levou a denúncia ao Ministério Público. Após consultarem o Vaticano e ouvirem outros moradores de Granada que afirmaram também ter sofrido abusos sexuais na catedral, os procuradores denunciaram à Justiça uma suposta rede de pedofilia dentro da Diocese da cidade.

Neste fim de semana, a Justiça expediu mandados de prisão a 12 pessoas acusadas de pedofilia, entre elas dez sacerdotes.

A partir da investigação judicial, a imprensa espanhola denunciou o caso. O jornal "El País" publicou na íntegra a carta escrita pelo professor espanhol ao Vaticano, e o portal de notícias "Religião Digital", o primeiro a divulgar a história, reproduziu a conversa telefônica entre o Papa Francisco e o professor autor da carta.

O Arcebispo de Granada renunciou ao cargo. Na segunda-feira, ele e outros padres e sacerdotes se deitaram no chão durante missa extraordinária na catedral de Granada para pedir desculpas pelo caso, que abalou bastante a cidade, de forte tradição católica.

Além da intervenção histórica do Papa, o Vaticano reconheceu a veracidade dos casos relatados pela imprensa espanhola e também pediu desculpas públicas.

Papa fala sobre o caso em visita ao Parlamento

Na terça-feira, o Papa Francisco falou sobre o caso durante sua visita ao Parlamento Europeu. Abrindo uma rara exceção em sua agenda, ele respondeu a perguntas de jornalistas sobre o caso e disse que vive uma grande dor por conta deste e outros episódios similares dentro da igreja católica, mas que a verdade não pode mais ser escondida.

O Papa Francisco, vale lembrar, vem adotando uma política de tolerância zero, como ele mesmo diz, contra a pedofilia na igreja. No início deste mês, o Vaticano criou uma espécie de tribunal interno para julgar, de forma urgente, apenas casos de abusos sexuais cometidos por membros da igreja católica.

Entre 2004 e 2013, 848 religiosos foram afastados de seus cargos por suposto envolvimento em casos de abuso sexual de menores, segundo dados do próprio Vaticano.

Luisa Belchior, correspondente da RFI em Madri

Portugues.rfi.fr
DeOlhOnafigueira 
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.