Brasil é o país com a maior proporção de pessoas que se dizem protestantes

São Paulo. Nem mesmo a escolha de um papa latino-americano e a maneira mais próxima como Francisco tem se relacionado com os fiéis da Igreja Católica têm sido suficientes para alterar o crescimento do número de protestantes e a queda do número de católicos na América Latina. A afirmação é confirmada pelos dados da mais recente pesquisa realizada pelo Centro Pew Research, divulgada nesta quinta.
Os pesquisadores ouviram aproximadamente 30 mil pessoas em 18 países latino-americanos e no território norte-americano de Porto Rico. O resultado aponta que 69% das pessoas ouvidas disseram ser católicas, 19% protestantes e 4% de outras religiões (indígenas, de origem africana e outras). Outros 8% disseram não ter religião ou não ser adepto de nenhuma.


Fuga. A parcela de pessoas que têm formação católica é de 84% e, como o percentual daqueles que se dizem atualmente católicos foi de 69%, indica uma redução de 17,9% nesse contingente, ou 15 pontos percentuais. A situação é o inverso do que acontece com os protestantes – 9% têm formação.

A Nicarágua concentra os maiores percentuais dos que deixaram o catolicismo, com 23%, seguida por Uruguai (22%) e Brasil (20%). Na outra ponta, Guatemala e Honduras têm a maior parcela de protestantes (41%), 1 ponto percentual a mais que a Nicarágua (40%).

Na América do Sul, onde a presença da Igreja Católica é maior, o Brasil é o país com a maior proporção de protestantes, com 26%, e o Paraguai tem a menor, com 8%.

Pentecostais. A maioria dos novos protestantes está afiliada a denominações pentecostais, como a Assembleia de Deus. Entre os motivos para a mudança, o mais citado é a busca de uma conexão mais pessoal com Deus.

Outros pontos são o estilo diferente de culto e a “chegada” da igreja até esses fiéis, que são alguns dos motivos pelos quais houve queda no número de adeptos do catolicismo no mundo, situação reconhecida pelo papa Francisco.

Posição

Apoio. Entre os 19 territórios que fazem parte da pesquisa do Centro Pew Research, apenas na Argentina e no Uruguai mais da metade da população total apoia o casamento gay e o aborto.

Protestantes têm compromisso maior e são mais conservadores

São Paulo. Os entrevistados que se declararam protestantes mostraram-se também com um maior compromisso religioso. De acordo com a pesquisa do Centro Pew Research, eles comparecem mais às igrejas que os católicos.

Enquanto no primeiro grupo o comparecimento a cultos supera os 40% dos entrevistados em 16 das 19 regiões pesquisadas, a presença nas missas só ultrapassa esta marca em Honduras, Costa Rica, Guatemala, El Salvador e República Dominicana.

Assim como no Brasil, há uma maior tendência de que os protestantes sejam mais conservadores que em outros segmentos. Em todos os países avaliados pelo Centro, mais da metade deles é contra o casamento gay e o aborto, sendo que em 12 deles a parcela contrária supera os 80%.

Com informações de O tempo
Marcadores: ,

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.