O tremor fez milhares de pessoas saírem correndo para as ruas e danificou prédios, informaram autoridades

Pelo menos uma pessoa morreu após o terremoto que atingiu o sudoeste da China noite desta terça-feira (7). O tremor fez milhares de pessoas saírem correndo para as ruas e danificou prédios, informaram autoridades.
O Centro de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) informou que o terremoto teve magnitude 6,0 e seu epicentro foi localizado a 18 quilômetros da cidade de Weiyuan, a uma profundidade de 10,1 quilômetros. Embora a pouca profundidade possa provocar danos graves, não havia relatos de grande destruição provocada pelo tremor.


Segundo a agência nacional de monitoramento de terremotos chinesa, o terremoto foi de magnitude 6,6 e aconteceu a apenas 5 quilômetros da superfície. A agência chinesa informou também que o sismo foi seguido por oito tremores secundários que chegaram a magnitude 4,2.

O terremoto aconteceu às 21h49 (10h49 em Brasília), quando a maioria dos moradores já estava em casa.

Na cidade de Yongping pelo menos uma pessoa morreu e três ficaram feridas, segundo a agência oficial de notícias Xinhua. O condado de Jinggu, que fica perto do epicentro, tem uma população de 290 mil pessoas.

"Todo o edifício tremia terrivelmente e ouvi altos estalos. Pratos caíram na cozinha. Todos corremos para a rua, que já estava cheia de gente", disse Li Anqin, morador de Weiyuan, no condado de Jinggu, segundo a Xinhua.

De acordo com a agência de notícias, fortes tremores foram sentidos na capital da província, Kunming, que fica a cerca de 360 quilômetros ao nordeste do epicentro. Um grupo inicial de resgate com 230 integrantes foi enviado para a região duas horas após o terremoto.

Um repórter de televisão que estava na cidade de Pu'er, cerca de 85 quilômetros do epicentro, disse que as pessoas saíram dos prédios antes dos tremores secundários. Segundo o repórter Wang Jian, houve danos estruturais nos edifícios e na rede local de telefonia celular, mas não havia relatos de mortos ou feridos.

A remota região montanhosa perto da fronteira com Mianmar é propensa a terremotos. Um tremor de magnitude 6,1 no norte de Yuann em agosto matou pelo menos 615 pessoas e deixou mais de 100 desaparecidas. Em 1970, um tremor de magnitude 7,7 também em Yunnan matou ao menos 150 mil pessoas. 

Agência Estado
Marcadores:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.