segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Ebola é pior emergência de saúde da era moderna, diz OMS

Diretora-geral da OMS afirmou também que é possível refrear parte das consequências econômicas da doença, se as pessoas foram orientadas a não tomar "atitudes irracionais" para evitar o contágio
A diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, caracterizou a epidemia de ebola como a "emergência de saúde mais severa e aguda dos tempos modernos", ao discursar em uma conferência nas Filipinas nesta segunda-feira. Ela afirmou também que é possível refrear parte das consequências econômicas da doença, se as pessoas foram orientadas a não tomar "atitudes irracionais" para evitar o contágio.
Citando dados do Banco Mundial, Chan disse que 90% do custo econômico de qualquer epidemia "vem de tentativas irracionais e desorganizadas de pessoas para evitar a contaminação". A diretora-geral afirmou ainda que a OMS está consciente de que o medo do ebola se espalhou pelo mundo "muito mais rapidamente do que o vírus".

"Estamos vendo, agora mesmo, como o vírus pode perturbar economias e sociedades ao redor do mundo", disse a diretora-geral. Chan também pediu às autoridades para que se preparem contra o ebola, mas que foquem também em outras ameaças à saúde, incluindo doenças não transmissíveis.
Discursando em uma conferência de saúde em Manila, Chan elogiou os filipinos por realizarem uma reunião contra o ebola, na semana passada, entre autoridades de saúde do governo e representantes do setor privado. Ela também alertou que o país está em posição vulnerável, devido ao grande número filipinos trabalhando no exterior.
Segundo dados da OMS, a epidemia de Ebola já matou mais de quatro mil pessoas, a maioria deles em países do oeste africano, principalmente a Libéria, Serra Leoa e Guiné.
No mês passado, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, pediu aos líderes dos países afetados para construírem centros especiais para isolar os pacientes de seus familiares não infectados, em um esforço para refrear a epidemia. Além disso, ele pediu às empresas de transporte e companhias aéreas internacionais que não suspendam seus serviços aos países afetados pela doença. Segundo ele, fazer isso criaria entraves às iniciativas de auxílio humanitários e médico.
Agência Estado
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.