Pelo menos cinco pessoas ficaram feridas em função do tremor de magnitude 5,6, informou a emissora NHK

Um terremoto de magnitude de 5,6 que atingiu a região Kanto, às 12h28 desta terça-feira, deixou muitos brasileiros assustados. Em algumas cidades de Gunma, Saitama e Tochigi, o abalo chegou a "5 graus fraco" na escala japonesa (5-, ou 5 jaku).
“Fazia um tempo que não tinha um terremoto com essa intensidade. Assustou um pouco”, afirmou Mayumi Uemura, diretora da Escola Opção, de Joso (Ibaraki).
A escola, que constantemente realiza treinamentos contra terremotos, seguiu as orientações do corpo de bombeiros, e pediu para que os alunos ficassem dentro das salas de aulas, sob as carteiras para proteger as cabeças.

“O lado bom é que hoje pudemos verificar que precisamos trabalhar mais com algumas salas, principalmente com os alunos mais velhos, ficaram mais assustados”, explicou a diretora.
Localizado nas proximidades do epicentro, a escola não parava de receber ligações dos pais, preocupados com as crianças. “O telefone não parava de tocar. A partir de hoje, quando tiver algum terremoto, vamos sempre manter a situação pelo Facebook”, diz ela, que assim que ocorreu o tremor já logo postou informações sobre os alunos em sua página na rede social.
Assim como a escola, muitos brasileiros usaram o Facebook para relatar o terremoto. "Aqui tremeu tanto que agarrei meu filho pelo braço e sai gritando. Os vidros da janela pareciam que iam explodir. Estou grávida de cinco meses... meu bebê nunca mexeu tanto", disse uma internauta. 
Harumi Shimizu, 41, de Utsunomiya (Tochigi), trabalha à noite e estava deitada quando ocorreu o terremoto. “Estava quase dormindo, quando o alerta do celular começou a disparar, segundos antes do tremor”, contou ela.
“Fiquei deitada esperando para ver se ficava mais forte, mas acabei nem levantando, sou muito tranquila nessas horas. Acho que assusto mais com o alarme do que com o terremoto em si.”
Na hora, a única preocupação da brasileira, que vive há 24 anos no Japão, foi com o namorado, que estava a caminho da escalada do monte Fuji. “Ele nem sentiu o terremoto, só o alerta do celular que disparou”, disse ela.
FERIMENTOS
Pelo menos cinco pessoas ficaram feridas em função do terremoto, informou a emissora NHK às 14h30.
Em Hachioji (Tóquio), uma menina de 5 anos que buscava abrigo na creche cortou o pé com o caco de uma vasilha que caiu no chão e quebrou.
Em Kiryu (Gunma), um homem de 50 anos machucou gravemente a cabeça com a queda de um lustre. Em Ota, na mesma província, uma mulher de 38 anos também feriu a cabeça depois de cair no chão.
O tremor também provocou deslizamentos de terra, pequenos danos em casas e escolas e paralisação temporária dos trens. Em Tatebayashi e Oura (Gunma), cerca de 100 casas ficaram sem luz, mas o fornecimento de energia já foi restabelecido.
O epicentro foi registrado ao sul de Ibaraki, a uma profundidade de 50 quilômetros. A Agência informou que existe a possibilidade de ocorrerem réplicas (tremores secundários) na região.
A magnitude (5,6) equivale à intensidade do terremoto no epicentro. Já o grau da escala japonesa (5-) considera o abalo sentido na superfície da terra.
Cidades mais afetadas pelo terremoto
("5-" graus na escala japonesa)
TOCHIGI
Sano-shi Kameicho
Sano-shi Kuzu-higashi
Shimotsuke-shi Tanaka
GUNMA
Maebashi-shi Kasukawamachi
Isesaki-shi Nishi-kubocho
Ota-shi Nishi-honcho
Chiyoda-machi Akaiwa
Oizumi-machi Hinode
Oura-machi Nakano
Midori-shi Omamacho
SAITAMA
Kumagaya-shi Konan
Kazo-shi Shimomitsumata
Kazo-shi Kisai
Kazo-shi Otone
Honjo-shi Kodamacho
Fukaya-shi Okabe
Kuki-shi Shimohayami
Saitama Misato-machi Kibe
foto: Reuters
Aluno se protege durante treinamento para terremotos 

Alternativa
Marcadores:

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.