segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Estado Islâmico pede que membros matem cidadãos de países contrários à facção


Em mensagem divulgada em vários idiomas, Abu Mohamed al-Adnani, porta-voz do EI, incentivou o assassinato de americanos, franceses, canadenses e australianos

A milícia Estado Islâmico (EI) fez um apelo na internet para que seus seguidores matem os cidadãos dos países que integram a coalizão liderada pelos Estados Unidos para combatê-la.
Em mensagem divulgada em vários idiomas, Abu Mohamed al-Adnani, porta-voz do EI, incentivou o assassinato de americanos, franceses, canadenses e australianos.

Em uma conferência internacional em Paris na semana passada, os cinco países do Conselho de Segurança da ONU, além de países europeus e árabes, discutiram as estratégias da coalizão internacional contra o EI.


Estados Unidos e França executam ataques aéreos contra o EI no Iraque. A facção também domina partes da Síria e proclamou um califado (Estado que segue as leis islâmicas) em seu território.

Além disso, Washington também anunciou a liberação de US$ 500 milhões para armar e treinar rebeldes sírios que lutam contra o EI e enviou 1.600 soldados ao Iraque.

Obama descartou uso de tropas americanas em combates em solo.

A intervenção militar da coalizão "será derrotada assim como as campanhas anteriores", diz a mensagem.

"Se você lutar contra o EI, ele torna-se mais forte e mais resistente. Se você deixá-lo sozinho, ele cresce e se expande. Se Obama prometeu derrotar o Estado Islâmico, então Bush também mentiu antes dele", disse Adnani, de acordo com a transcrição.

A mensagem de Adnani -divulgada em um áudio em árabe, mas com traduções para o inglês, francês e hebraico- dá instruções sobre como executar os assassinatos sem equipamento militar.

"Esmague a cabeça com uma pedra ou apunhale com uma faca, ou atropele com seu carro, ou jogue de um local alto, ou estrangule ou envenene", disse o porta-voz.

Egito

Adnani também faz um apelo aos militantes da península do Sinai no Egito, com o pedido para que "cortem as gargantas" daqueles que lutam a favor do presidente Abdel Fatah al-Sisi, especialmente as forças de segurança do país.

O ex-comandante do Exército, Sisi, foi responsável por um golpe de Estado contra Mohammed Mursi, islamita eleito no Egito. Em junho, Sisi venceu as eleições presidenciais no país.

O tempo
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.