sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Ebola está fora de controle, alerta OMS


Já foram registradas 729 mortes em quatro países, o que faz do surto o pior desde a descoberta da doença

O surto de Ebola na África Ocidental está fora de controle, mas pode ser contido com mais recursos e medidas mais duras, disse nesta sexta-feira a chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan.
Já foram registradas 729 mortes em quatro países, o que faz do surto o pior desde a descoberta da doença em meados dos anos 1970.
"Esse surto está se movendo mais rapidamente do que os nossos esforços para controlá-lo", disse Margaret aos presidentes de Guiné, Libéria e Serra Leoa em reunião nesta sexta-feira em Conacri.

"Se a situação continuar a piorar, as consequências podem ser catastróficas em termos de perda de vidas, mas também severas perturbações socioeconômicas e alto risco de disseminação para outros países", declarou ela, de acordo com uma transcrição da OMS.
Ela ressalvou que o surto pode ser contido e que o público em geral não corre alto risco de infecção. De acordo com Margaret, os governos poderão ter de impor restrições no movimento de pessoas e em reuniões públicas, e usar a polícia e forças de defesa para garantir a segurança das equipes que lidam com a doença.
Os sistemas de saúde enfrentam dificuldades para tratar dos doentes e mais de 60 funcionários da área médica morreram por causa da doença, o que complicou os esforços de combate ao vírus.
Dois norte-americanos que trabalhavam para uma entidade beneficente e contraíram a doença na Libéria estão em estado grave.
A Libéria pôs em prática medidas como o fechamento de todas as escolas e alguns departamentos do governo e poderá, eventualmente, colocar de quarentena as comunidades afetadas.
Serra Leoa declarou estado de emergência e mobilizou o Exército para isolar as vítimas do Ebola.
No entanto, o líder da força-tarefa contra o Ebola na Guiné disse que seu país não vai adotar medidas como essas.
"Algumas medidas adotadas pelos nossos vizinhos poderiam tornar a luta contra Ebola ainda mais difícil", disse Aboubacar Sidiki Diakité, à Reuters, citando em particular o fechamento de escolas. "Quando as crianças não estão sob supervisão, elas podem ir a qualquer lugar, e o problema fica pior."
O surto levou várias organizações internacionais de ajuda a retirarem seu pessoal dos países. A US Peace Corps informou que estava retirando 340 voluntários da Libéria, Serra Leoa e Guiné, e a Samaritans Purse disse que iria completar a remoção da Libéria de seus 60 membros estrangeiros no fim de semana.
A OMS vai lançar um plano de resposta de 100 milhões de dólares e os Estados Unidos estão fornecendo apoio material e técnico para os três países. Haverá uma reunião em Washington na próxima semana para discutir mais assistência.

Alternativa Online
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.