Segundo o promotor Maurício Antônio Ribeiro Lopes, o Ministério Público ainda não tem convicção de que houve irregularidades na obra. Ele afirmou que uma investigação já foi aberta para apurar o caso.

Em entrevista ao CBN SP, o promotor disse que um inquérito sobre o Templo de Salomão foi arquivado em 2011 com base em documentos fornecidos pela prefeitura de São Paulo, antes do caso envolvendo o ex-diretor do Aprove, Hussain Aref Saab, acusado de liberar obras em troca de propina. Segundo ele, essas informações atestavam a regularidade da obra.
Maurício Antônio Ribeiro Lopes afirmou que, se comprovado que os dados eram falsos, quem os forneceu pode responder pela prática de crime. 


O promotor também cobrou da prefeitura um pente fino sobre os casos que contaram com a participação o ex-diretor do Aprove.

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.