quarta-feira, 30 de julho de 2014

Paz só é possível com a criação do Estado palestino, diz Dilma


Tel Aviv, Israel. Em discurso durante a reunião de cúpula do Mercosul nesta terça, a presidente Dilma Rousseff pediu “cessar-fogo imediato” na Faixa de Gaza, depois que uma ofensiva de Israel levou à morte de mais de mil palestinos, além de dezenas de soldados israelenses. Ela ainda voltou a criticar “o uso desproporcional da força” de Israel na região e defendeu a criação de um Estado palestino.


“A construção da paz naquela região passa pela construção de dois Estados. Pela construção do Estado de Israel, já operante, já construído e já sólido. E pelo Estado palestino, porque consideramos que, para estabilidade da região e segurança de Israel, a existência de dois Estados é pré-condição”, disse Dilma.

Seguindo o exemplo de Dilma, o Mercosul ainda divulgou um comunicado oficial, pedindo o cessar-fogo e qualificando como “urgente” o início de uma investigação das violações de direitos humanos na região, “para estabelecer fatos e circunstâncias de referidas violações e dos crimes cometidos”, e identificar os responsáveis.

Na última semana, Israel e Brasil trocaram farpas após a chancelaria brasileira falar do uso desproporcional da força israelense. Um porta-voz de Israel respondeu chamando o Brasil de “anão diplomático” e dizendo que “desproporcional é 7 a 1” em referência ao jogo Brasil e Alemanha da Copa do Mundo.

Seguindo o exemplo do Brasil, que convocou seu embaixador em Israel na última semana, os governos do Chile e do Peru anunciaram nesta terça o retorno de seus embaixadores em Israel para consultas. Na semana passada, Equador também chamou seu embaixador em Tel Aviv para consultas.


CONFLITO. Israel intensificou sua campanha militar contra o Hamas nesta terça, atacando símbolos do controle do grupo militante sobre Gaza, além de realizar disparos que, segundo autoridades palestinas, fecharam a única usina de energia do território costeiro no que foi o bombardeio mais pesado da guerra até agora. Mesmo antes do ataque contra a usina de energia, os moradores de Gaza recebiam eletricidade por apenas cerca de três horas por dia. Pelo menos cem palestinos foram mortos nesta terça. Nessa segunda, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, advertiu a respeito da “prolongada” campanha contra o Hamas.

Ataque hacker contra Israel

Tel Aviv. O grupo de hackers chineses Comment Crew foi acusado de roubar dados do sistema de mísseis do Domo de Ferro (Iron Dome), um projeto israelense de US$ 1 bilhão. A equipe de hackers, que conta com apoio estatal chinês, foi responsável por ataques, iniciados em 2011, contra três companhias israelenses de tecnologia de defesa. A China não é o único país a atacar Israel por canais cibernéticos. Em 2012, Israel computou 44 milhões de ataques a sites de seu governo em oito dias de conflito com o Hamas.

Contra o “genocídio”

Madri, Espanha. Personalidades lideradas por Penélope Cruz, Javier Bardem e Pedro Almodóvar denunciaram a incursão de Israel em Gaza em uma carta aberta em que descrevem as ações israelenses como “genocídio”. “Gaza está vivendo o horror. (...) Eles estão tendo água, eletricidade e livre circulação para seus hospitais, escolas e campos negados enquanto a comunidade internacional não faz nada”, diz o texto divulgado.

O tempo

O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.