O Seu portal conservador de notícias, Evangelismo e Informação em defesa da fé Cristã

  • Últimas Notícias

    02 julho 2014

    Homicídio de três adolescentes israelenses pode ser pretexto para uma guerra


    Depois do assassinato por palestinos dos três adolescentes israelenses sequestrados, o governo de Israel e o comando do Tzahal (Exército de Israel) falam da necessidade de uma resposta extremamente dura. Os árabes, por seu turno, ameaçam provocar um “inferno”. A escalada de tensão poderá provocar uma guerra a sério.

    Os corpos dos adolescentes foram descobertos na segunda-feira, depois de 18 dias de buscas, e sepultados na terça-feira.
    Israel responsabilizou pela sua morte o movimento islamita Hamas, que está no poder na Faixa de Gaza e que reiniciou sua aliança política com o presidente da Autoridade Nacional Palestina Mahmoud Abbas. Praticamente todos os peritos concordam que depois do enterro dos seminaristas a tensão na região irá aumentar de forma drástica.

    O objetivo principal da operação em curso na Margem Ocidental, para onde foram deslocados milhares de militares para participarem nas buscas dos adolescentes, será agora a captura dos assassinos e de todos os cúmplices do sequestro. Segundo declarou o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu: “Todos eles serão castigados. Nós não nos deteremos até punirmos o último de entre eles.” Comenta o orientalista Nikolai Surkov:
    “Segundo as informações a que a imprensa israelense teve acesso, os moços foram mortos muito depressa. Ou seja, ninguém tencionava usá-los como reféns. O que é estranho é o Hamas não reivindicar diretamente sua responsabilidade. Normalmente este tipo de organizações usa os raptos como um instrumento político. Por isso, o assassinato pode ter sido uma provocação de uma terceira força desconhecida e que esteja interessada em impedir o acordo entre o Hamas e a Fatah, ou na desestabilização da situação na região. Aliás, nesse caso pode surgir versões completamente fantásticas.”
    Os árabes ameaçam Tel Aviv com mais uma Intifada, mas poucos duvidam que essas ameaças apenas irão irritar ainda mais os indignados israelitas. Apesar de os países vizinhos apelarem aos israelenses para que estes não se deixem guiar pelas emoções, dificilmente Tel Aviv irá desistir do seu habitual método de “punição coletiva”, considera o perito orientalista Serguei Demidenko:
    “O problema da Palestina é que antes o extremismo era personificado e associado, digamos, com o Hamas ou com a Jihad Islâmica, mas agora nos territórios palestinos atua uma grande quantidade de diversos grupos extremistas que praticamente não são controlados pelas direções das grandes organizações. Essa situação se deve em grande parte à Primavera Árabe e aos acontecimentos que ocorrem neste momento no Egito. A península do Sinai é um viveiro de extremismo. Esse é o ponto nevrálgico de toda a região.”
    O mais provável é o assassinato dos adolescentes israelenses ter tido como objetivo o agravamento do conflito israelo-palestino. É sintomático que os israelenses, que põem em funcionamento sua máquina repressiva, cumprem as expectativas dos autores desse monstruoso atentado. O mais sensato seria a realização de uma investigação conjunta israelo-árabe desses homicídios, a detenção e o julgamento público justo dos culpados. Mas para a sociedade israelense, instigada pelo ódio extremo e pelas declarações violentas dos seus políticos, isso seria demasiado moroso e complicado.

    Voz Da Rússia

    Sobre

    Exclusivamente voltado para matérias informativas em questões apologéticas, notícias e estudos bíblicos, este site tem o objetivo de servir como ferramenta de evangelização bem como alerta e preparo à igreja cristã sobre os últimos eventos que antecedem a Volta Gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.

    Termos de Uso

    Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir os artigos em qualquer formato, desde que informe o(a) autor(a) e a fonte do artigo, bem como as fontes intermediárias, inclusive o Site "O Correio de Deus". Não é permitido a alteração do conteúdo original sem a devida notificação de alteração em cópia extraída deste site e muito menos a utilização para fins comerciais.
    Licença Creative Commons
    Este trabalho está licenciado com uma Licença