Um professor universitário teve uma promoção negada por sete anos por ser um profissional considerado “conservador” pelos padrões da Universidade da Carolina do Norte (UNC), nos Estados Unidos.

Mike Adams entrou com um processo contra a instituição onde trabalhava dizendo que foi vítima de discriminação religiosa. Cristão, ele afirma que não pode se tornar professor titular por conta de sua crença.

O processo contra a UNC foi aberto em 2007, a vaga que lhe foi negada esteve aberta em 2006. Ele contestou a falta de promoção e o processo se estendeu nesses anos tendo em 2010 uma sentença favorável à faculdade.


Os advogados de Adams fizeram uma apelação junto ao tribunal federal e conseguiram reverter a decisão anterior dando causa ganha ao professor.

Agora a Universidade da Carolina do Norte terá que pagar uma indenização de 698,131,50 dólares ao professor. A decisão foi assinada pelo juiz sênior da corte distrital dos Estados Unidos Malcolm J. Howard.

“A UNC poderia ter evitado cada centavo se tivesse reconhecido seu erro em 2006, confirmando que Adams era totalmente qualificado para sua promoção, e assim teriam tratado de forma justa como tratam professores de outras convicções e visões de mundo”, disse o advogado Travis Barham que defende o professor. Com informações The Christian Post

Fique Atento

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.