O Seu portal conservador de notícias, Evangelismo e Informação em defesa da fé Cristã

  • Últimas Notícias

    04 junho 2014

    O que nós havíamos falado? Dilma defende aborto por motivos "médicos e legais"


    Pela primeira vez desde que foi eleita presidenta da República em 2010, Dilma Rousseff se pronunciou sobre o aborto, defendendo a sua prática se for por motivos específicos e realizados em unidades do SUS.

    Dilma defendeu a interrupção voluntária da gravidez desde que feita por motivos “médicos e legais” e afirmou que o aborto deverá ser feito em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS), seguindo o serviço de obstetrícia.
    O tópico foi abordado quando questionada pelo GLOBO sobre o número de mulheres que morrem após a realização de abortos em clínicas clandestinas.
    De acordo com o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) a cada dois dias e meio morre uma mulher devido a complicações causadas por um aborto feito na clandestinidade.
    Os dados se mantêm inalterados desde 1996, de acordo com o SIM. “Para realizar a interrupção legal da gestação, o estabelecimento, deve seguir as normas técnicas de atenção humanizadas ao abortamento do Ministério da Saúde e a legislação vigente”, afirmou a presidente, lembrando que a lei 12.8.845, de 1 de agosto de 2013, garante atendimento “imediato e obrigatório” em todas as unidades do SUS.
    “O gestor de saúde municipal ou estadual é o responsável por garantir e organizar o atendimento profissional para realizar o procedimento”, continuou Dilma Rousseff.

    Notícias ao Minuto

    Sobre

    Exclusivamente voltado para matérias informativas em questões apologéticas, notícias e estudos bíblicos, este site tem o objetivo de servir como ferramenta de evangelização bem como alerta e preparo à igreja cristã sobre os últimos eventos que antecedem a Volta Gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.

    Termos de Uso

    Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir os artigos em qualquer formato, desde que informe o(a) autor(a) e a fonte do artigo, bem como as fontes intermediárias, inclusive o Site "O Correio de Deus". Não é permitido a alteração do conteúdo original sem a devida notificação de alteração em cópia extraída deste site e muito menos a utilização para fins comerciais.
    Licença Creative Commons
    Este trabalho está licenciado com uma Licença