Segundo matéria da Folha de S. Paulo (que reproduzo abaixo), “aliados”do governador Geraldo Ackmin, a greve dos metroviários que criam o caos nesta quinta-feira em São Paulo é política e incentivadas pelos partidos que fazem oposição ao governo do PSDB, ou seja, o PSTU e o PSOL.


Resta perguntar então. E o PT, então, não faz oposição ao governo? Quem são os “aliados” do governador citados pela Folha de S. Paulo?
A informação é estranha. Os tais “aliados” pelo visto, estão dizendo que são o PSTU e o PSOL apenas que fazem oposição ao governo paulista. E o PT?, que é o prinicipal partido oposicionista em São Paulo, porque não é citado?
A verdade que tem de ser dita é a seguinte: o caos em São Paulo é obra do PT, como são também todas essas manifestações que ocorrem em diversos pontos do Brasil. 
Inclusive esses protestos contra a Copa do Mundo, como também os protestos ocorridos no ano passado, foram todos insuflados e organizados pelo PT.
Alguém poderia indagar: mas como pode ser o PT se foi o governo de Lula que é o chefão do partido, responsável por ter trazido a Copa para Brasil? Ora, porque o PT não é um partido político normal, é um grupo revolucionário comunista que tem como meta transformar o Brasil numa República Socialista de viés cubano. A estratégia é criar convulsões sociais de forma permanente em diferentes pontos do país e sob diferentes motivações. 
Notem que todos os sindicatos de trabalhadores são controlados pelo PT via CUT, como também todos os tais “movimentos sociais” foram criados e são dirigidos pelo PT.
Os partidos como PSOL, PSTU, PCdoB e demais agremiações políticas esquerdistas formam parte do esquema do PT, são espécie de “terceirizados”. O PT tem o comando total sobre todas essas organizações que fazem greves, arruaças, invasões de propriedades privadas, enfim, todas essas agitações que castigam o Brasil e transformam o país num verdadeiro inferno.
O que está acontecendo hoje em São Paulo e que se repete sistematicamente, faz parte da campanha eleitoral do PT. Imaginem então São Paulo sendo governado pelo PT? Ou conceder mais quatro anos para a permanência da Dilma e Lula no Palácio do Planalto!
Aqui a matéria da Folha de São Paulo:
A avaliação de aliados do governador Geraldo Alckmin (PSDB) é que a greve dos metroviários é política, incentivada por siglas que fazem oposição ao tucano no Estado, como o PSTU e o PSOL.
Esse diagnóstico fez com que a cúpula do governo defendesse o endurecimento do tom contra a paralisação.
Em reunião na noite desta quarta (4) no Palácio do Bandeirantes, foi decidido que o Metrô vai investigar quem são os funcionários que tentaram invadir o Centro de Controles de Operações (CCO), que coordena quatro linhas.
A conduta do maquinista que usou o sistema de comunicações de um trem com passageiros a bordo para responsabilizar o governo pela greve também será avaliada.
A gestão diz ter sido informada de que militantes das duas siglas de oposição discursaram durante a assembleia da categoria.
A avaliação de que a paralisação visa prejudicar Alckmin ganhou ainda mais força após os metroviários recusarem proposta que reajusta benefícios e garante um aumento de no mínimo 10,6% nos rendimentos de todos os funcionários, segundo o Metrô.
Os grevistas diziam que a meta era fazer o aumento chegar a dois dígitos.
"Não temos como pagar [mais]. A tarifa está congelada há dois anos. Estamos fazendo esforço para prestar serviço com essa tarifa", disse o presidente do Metrô, Luiz Antonio Carvalho Pacheco.
Ao defender o enfrentamento, aliados de Alckmin argumentaram que trabalhadores das linhas 4-amarela e 5-lilás decidiram não parar, recebendo reajustes inferiores. 

Folha de S. Paulo  e Blog Do Aluízio Amorim

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.