O estudante norte americano Brook Hamby teve seu discurso de formatura censurado pela escola na qual estudava por querer expressar em sua fala sua fé cristã. A escola de ensino médio “Brawley Union”, localizada no estado da Califórnia, rejeitou três propostas de discurso feitas por Hamby, porque os textos continham inspiração em sua fé.

Segundo o The Christian Post, o estudante desejava falar aos seus colegas e outras pessoas presentes na cerimônia de formatura sobre como é inspirado por sua fé, mas teve os esboços de seu discurso negados pela escola. Em resposta à censura, ele decidiu quebrar o protocolo e usar seu momento de discurso para falar sobre a censura que sofreu.

- Ao vir diante de vocês hoje, apresentei três rascunhos de meu discurso, todos foram negados por causa do meu desejo de compartilhar com vocês meus pensamentos pessoais e inspiração: a minha fé cristã – afirmou Brook Hamby no palanque de sua formatura.

A quebra de protocolo e, sobretudo, o discurso do estudante geraram comentários e muita polêmica entre as pessoas presentes na formatura. Em sua fala, o aluno acrescentou ainda que nenhum ser humano cumpriu o seu propósito agradando aos outros.

- Nenhum homem ou mulher jamais conseguiu verdadeiramente seu propósito por conta de viver para os outros ou sem se posicionar sobre o que sabiam em seu coração, sobre o certo e o errado – afirmou o estudante, que ainda citou a Bíblia como “o maior best-seller de todos os tempos na História”.

Hamby reforçou seu discurso de protesto contra a escola lendo o trecho de Mateus 5:13, que diz: “Vocês são o sal da terra, mas se o sal perder o seu sabor, como pode ser feito salgado novamente? Já não é bom para nada, senão para ser lançado fora e pisado”.

Outros estudantes que quebraram o protocolo do discurso para expressar sua fé

Brook Hamby não foi o primeiro estudante norte-americano a ignorar a censura de sua escola e surpreender a todos expressando sua fé durante o discurso de formatura. Em junho de 2013, Roy Costner IV, de 18 anos, rasgou o seu discurso pré-aprovado pela “Liberty High School”, em Pickens County, na Carolina do Sul (EUA), e recitou uma oração em sua cerimônia de formatura.

O ato de Costner foi um protesto contra a proibição feita pela escola de que orações fossem feitas nas suas dependências, depois de “reclamações” de grupos como a American Civil Liberties Union e Freedom From Religion Foundation.

Outro caso de censura aconteceu em 2012 em Oklahoma quando Kaitlin Nootbaar ganhou o título de orador oficial em sua escola, mas teve seu diploma negado por usar a palavra “inferno” em seu discurso de graduação. 

Fonte: Gospel Prime e Fique Atento

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.