sexta-feira, 27 de junho de 2014

Cristãos do Iraque temem ataques de jihadistas e protegem igrejas


Moradores da cidade de Bartala estão vivendo dias de terror. O Exército iraqueano abandonou a cidade com medo dos jihadistas sunitas que tomaram o controle da cidade Mossul, a 20km de Bartala.

Os 30.000 habitantes estão sendo protegidos por barricadas e por 600 cristãos que estão sendo apoiados pelos peshmergas, integrantes das forças curdas.

O jihadistas sunitas lançaram uma grande ofensiva no Iraque na semana passada e já tomaram todo o Oeste do país. Centenas de soldados foram decapitados e o Estado achou por bem recuar como estratégia.

Mas os cristãos de Bartala se sentem esquecidos pelo Estado. “O governo não se importa com a gente. Vimos como o Exército fugiu nos deixando condenados à morte certa”, disse Saba Yousef, que abriga em sua casa familiares que fugiram de Mossul.

Os jihadistas sunistas querem implantar o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), para isso lançaram ofensivas simultâneas nos dois países, mas o maior temor é que o grupo consiga chegar a Bagda, capital do Iraque.

Saba Yosef afirmou que ficaria protegendo Bartala e a igreja Maruam al-Adra com a própria vida. “Ficarei aqui, independentemente do que acontecer. Se devo morrer protegendo esta igreja, farei isso”, afirmou o homem que contava com outros homens para proteger as quatro igrejas da cidade.

Em todas elas eles criaram barricadas e estavam prontos para repelir qualquer ataque dos insurgentes, mesmo tempo poucas armas. “Não vamos entrar em Mossul, mas temos ordem de proteger esta zona e combater os insurgentes que possam chegar”, afirmou Idris Sorchi, líder curdo local.

A luz e água de Bartala foram cortadas e cerca de 20 famílias fugiram com medo dos ataques. Apesar da crise e do medo, a maioria da população ficou e estavam dispostos a lutar contra os jihadistas sunitas. 

Com informações R7
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.