O Seu portal conservador de notícias, Evangelismo e Informação em defesa da fé Cristã

  • Últimas Notícias

    28 maio 2014

    Sudanesa condenada à morte por ser cristã dá à luz na prisão

    Uma mulher cristã do Sudão que prometeu nunca renunciar à sua fé em Cristo, mesmo depois de ter sido condenado à morte por causa disso, deu à luz a uma menina na prisão na terça-feira. Ela já estava grávida quando foi presa.


    Meriam Yehya Ibrahim, 27, está na cadeia desde agosto de 2013. Ela foi condenada a receber 100 chicotadas por “adultério”, pois segundo a lei do país uma mulher sudanesa não pode se casar com um cristão. O esposo, Daniel Wani nasceu na região que hoje é o Sudão do Sul, mas tem cidadania americana.

    Segundo sites de notícias internacionais, Merian deu à luz cinco dias antes do previsto, na ala hospitalar da prisão para mulheres em Omdurman, ao norte da capital, Cartum.

    “Esta é uma boa notícia em meio ao que tem sido uma provação terrível para Meriam. Estou querendo visitá-la com o marido, Daniel, ainda hoje. Acho que eles vão chamar o bebê de Maya”, declarou à imprensa seu advogado, Mustafa Mohaned Elnour.

    Meriam foi condenada à morte por enforcamento após ter sido considerada culpada pelo tribunal religioso do Sudão. Ela se converteu do islamismo ao cristianismo e logo depois se casou com um homem cristão. O nascimento de sua filha pode significar um apelo da defesa para que ela tenha até dois anos para desmamar o bebê.

    Somente então poderia ser executada pelo crime de apostasia. No momento ela está na prisão com seu filho mais velho, de quase dois anos de idade.

    Um juiz muçulmano já disse que Meriam só poderia ser poupada da forca se renunciasse publicamente a sua fé e voltasse a ser muçulmana. “Se eles querem me executar, então devem ir em frente, porque eu não vou mudar minha fé”, disse ela recentemente.

    “Eu me recuso a mudar. Eu não vou desistir do cristianismo apenas para que possa viver… mas eu preciso ser fiel a mim mesma”, desabafou.

    O marido de Ibrahim, Daniel, elogiou a força e a fé de sua esposa e disse que ela é mais forte do que ele, pois sequer pensou em recuar, mesmo condenada à morte.

    Embaixadas dos Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha e Holanda estão apoiando Meriam e tentando exigir que o governo do Sudão cancele a sentença de morte, respeitando assim a liberdade de religião que é um direito de todos os seres humanos. Uma petição foi lançada pela Anistia Internacional na semana passada em favor de sua libertação. O número de assinaturas já chega a quase 700 mil. 

    Com informações CNN

    Sobre

    Exclusivamente voltado para matérias informativas em questões apologéticas, notícias e estudos bíblicos, este site tem o objetivo de servir como ferramenta de evangelização bem como alerta e preparo à igreja cristã sobre os últimos eventos que antecedem a Volta Gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.

    Termos de Uso

    Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir os artigos em qualquer formato, desde que informe o(a) autor(a) e a fonte do artigo, bem como as fontes intermediárias, inclusive o Site "O Correio de Deus". Não é permitido a alteração do conteúdo original sem a devida notificação de alteração em cópia extraída deste site e muito menos a utilização para fins comerciais.
    Licença Creative Commons
    Este trabalho está licenciado com uma Licença