O Seu portal conservador de notícias, Evangelismo e Informação em defesa da fé Cristã

  • Últimas Notícias

    22 maio 2014

    Caos e insanidade: Jovem escapa de cativeiro sexual onde era violentada há dez anos

    Caso ocorreu em Los Angeles. Jovem teve ajuda da irmã, após reencontrá-la no Facebook

    Em junho de 2004, após uma briga violenta com a namorada, Isidro García decidiu se vingar. Drogou e raptou a enteada, então com 15 anos, e a levou para uma casa em Santa Ana, em Los Angeles, nos Estados Unidos. A garagem do imóvel transformou-se em um cativeiro sexual. Durante os dez anos seguintes, a jovem foi diariamente agredida - verbal e fisicamente. Nesta quinta-feira (22), o pesadelo da mulher, cuja identidade e nacionalidade não foram reveladas pela polícia, parece ter chegado ao fim. O estuprador, hoje com 41 anos, foi preso na cidade de Bell Gardens, na Califórnia.
    A mãe da garota desconfiava que o então namorado, com quem morava, abusava sexualmente da filha. Mas, segundo ela, não tinha provas para denunciá-lo. Demorou dois meses para comunicar a polícia sobre o desaparecimento da filha. 

    Não obteve qualquer pista sobre seu paradeiro. Enquanto isso, no cativeiro, García dizia à jovem que ninguém de sua família queria saber onde estava, que não se importavam mais com ela. Ele ainda fazia ameaças: se ela tentasse fugir, seria extraditada.
    Fragilizada, ela acreditou na versão do padrasto. E desistiu de lutar. “Apesar de ter oportunidades de escapar, a vítima não viu qualquer forma de superar a situação e decidiu viver com García mesmo sob abusos mentais e físicos", afirma a polícia, em comunicado.


    Ao longo de quase uma década, para evitar suspeitas, o "casal" mudou de endereço diversas vezes. Em 2007, García conseguiu documentos falsos para que pudesse se casar com a jovem. Cinco anos depois, ela engravidou e deu à luz a uma criança. Mesmo confiante de que ela não tentaria mais fugir daquela vida, García a obrigou a trabalhar ao lado dele, numa empresa de limpeza, para que ficasse constantemente sob sua vigilância. A vizinhança do endereço mais recente do casal nem sequer desconfiava do que acontecia na casa. Na fotografia que ilustra o início deste texto, uma das vizinhas mostra à imprensa uma foto de García em um evento com crianças do bairro. Os moradores de Bell Gardens estão em choque.

    García estava sempre de olho em "sua mulher". Exceto quando ela estava online. A jovem procurou uma de suas irmãs na rede social Facebook e as duas começaram a conversar. Ela explicou toda a situação à irmã, que a encorajou a procurar a polícia. A vítima foi libertada e o sequestrador, preso. Ele está sendo acusado dos crimes de sequestro, estupro, abuso de menor e cárcere privado.



    O último endereço do "casal" em Bell Gardens, na Califórnia (Foto: AP Photo/Damian Dovarganes)

    Fachada do prédio onde García e a jovem moravam (Foto: AP Photo/Damian Dovarganes)

    Fotografia divulgada pela polícia de Isidro Garcia (Foto: EFE/SANTA ANA POLICE 


    Não é a primeira vez que um caso desses acontece nos Estados Unidos. Em maio do ano passado, Ariel Castro, conhecido como "monstro de Cleveland", foi preso por manter, durante 10 anos, três mulheres presas em cativeiro sexual. Foi condenado à prisão perpétua. Se suicidou em setembro, dentro de sua cela.

    Fonte: Revista Época



    Fique Atento

    Sobre

    Exclusivamente voltado para matérias informativas em questões apologéticas, notícias e estudos bíblicos, este site tem o objetivo de servir como ferramenta de evangelização bem como alerta e preparo à igreja cristã sobre os últimos eventos que antecedem a Volta Gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.

    Termos de Uso

    Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir os artigos em qualquer formato, desde que informe o(a) autor(a) e a fonte do artigo, bem como as fontes intermediárias, inclusive o Site "O Correio de Deus". Não é permitido a alteração do conteúdo original sem a devida notificação de alteração em cópia extraída deste site e muito menos a utilização para fins comerciais.
    Licença Creative Commons
    Este trabalho está licenciado com uma Licença