Kiev usado combustível nuclear dos EUA em suas usinas nucleares por anos e também da NATO "promove a segurança" nas usinas nucleares ucranianas. Isso, juntamente com a situação atual,  levanta a preocupação dos especialistas.

A  NATO enviou  um grupo de especialistas a Ucrânia para promover a segurança de usinas nucleares, de acordo com o secretário-geral da organização, Anders Fogh Rasmussen, que disse.
A pedido das autoridades ucranianas enviou um grupo de especialistas civis para aumentar a segurança das usinas nucleares civis, especificada  mais tarde pelo vice-primeiro-ministro russo Dmitry Rogozin que falou a respeito  dessa afirmação dizendo: Agora é a OTAN faz as revistas? Será que o controle de segurança de usinas nucleares não é jurisdição exclusiva da AIEA [Internacional de Energia Atômica]? Ele escreveu em sua conta no Facebook sobre a política russa.


Enquanto isso, Bulat Nigmatulin, ex-chefe -adjunto da Rosatom, a agência de energia nuclear russa, também observou que a segurança das centrais nucleares não é da responsabilidade da NATO, mas da AIEA. No entanto, a OTAN continua a insistir que segurança é um termo amplo, e acrescentou que "estão em causa que as instalações nucleares estão em boas condições", disse o porta-voz da NATO, Daniel Rigdzhio.

Vale tudo na guerra civil, até convidar especialistas da NATO á frente do Instituto da CEI, Konstantin Zatulin, compartilhado com a revisão do jornal russo "Vzgliad" , a decisão estranha de Kiev para chamar os peritos da NATO não é nada mais do que um "teste" para ver a reação de Moscou e os habitantes das regiões da Ucrânia que vieram que são esses especialistas. Além disso, Zatulin salienta que esses especialistas são teoricamente só NATO "civil" que pressionam para que aconteça a Aliança. "Na realidade, são peritos militares da NATO ou especialistas civis formais que praticam tarefas estritamente militares. O governo auto-proclamado da Ucrânia não tem o apoio de agências militares e de aplicação da lei. Em Kiev deu a entender que você não pode ganhar a guerra civil só com a ajuda de mercenários e radicais na Lei indústria", disse o especialista.


Kiev, está mais perto do que nunca da NATO enquanto isso, em Kiev não descarta que a chegada do "especialistas" para ajudar a Ucrânia a aderir à NATO. "Nesta situação, não só será uma tentativa da NATO de intensificar a cooperação com a Ucrânia. Talvez no futuro a questão da adesão da Ucrânia à NATO vai representar", disse o diretor do Instituto de Estudos Estratégicos Kiev globais, Vadim Karasiov.


Ameaça catastrófica

No mês passado, a empresa nuclear do Estado ucraniano Energoatom, anunciou sua intenção de assinar um contrato com a Westinghouse dos EUA para fornecer combustível nuclear a reatores nucleares ucranianos de três andares. Especialistas demonstram preocupação com os riscos envolvidos nesta medida para a segurança nuclear na região, já que há mais de um precedente negativo relacionado com o uso desse combustível. Utilizar barras de combustível estrangeiras em usinas nucleares de fabricação soviética e o uso, por exemplo, de barras de combustível russas em usinas de energia nucleares dos EUA. É estritamente proibido pelos peritos da AIEA enfatiza. "Ambientalistas frustraram as tentativas de fazer o mesmo na Europa Oriental. Percebendo o perigo, não permitiram que os seus governos realizassem seus planos. No entanto, a Ucrânia está em uma posição vulnerável, porque tem um governo fantoche. De acordo é importante uma aceitação com a Westinghouse. E o custo do contrato é de 1 milhão de dólares por ano Zatulin.


As principais prioridades dos EUA são os especialistas dizerem que é por acaso que Kiev pediu ajuda a NATO por exemplo, a União Europeia, também tem especialistas nucleares porque não chama-los? "Os americanos são os principais fundadores da NATO", lembrou Zatulin. Neste contexto, o cientista político disse que o desejo de controlar armas nucleares e energia nuclear é uma prioridade para os americanos, que entendem que o potencial nuclear se baseia no poder. "Claro, os americanos nunca mostraram falta de vontade de controlar o programa nuclear, assim como a nossa [Russa], ucraniana ou Iraniana . Este controle permite que você manipule o comportamento desses países ", concluiu Zatulin.

RT

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.