O Seu portal conservador de notícias, Evangelismo e Informação em defesa da fé Cristã

  • Últimas Notícias

    24 maio 2014

    A Entrada Triunfal de Jesus em Jerusalém no Domingo de Ramos — O Dia em Que Ele se Apresentou a Israel Como Seu Messias e Rei





    Nosso Salvador cumpriu a mais impressionante profecia em toda a Bíblia quando entrou em Jerusalém montado em um jumentinho. A data exata do evento podia ser determinada pela interpretação literal da profecia messiânica das setenta semanas em Daniel 9.


    A Matemática Sem Paralelos de Deus na Profecia Bíblica

    "Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo.
    Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos.
    E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações. E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador." [Daniel 9:24-27].

    A semana final citada no verso 27 refere-se a um período de sete anos conhecido como Tribulação.
    O termo "semana de anos" era comum entre os judeus e significava literalmente sete anos. O termo vem da ordem de Deus em Levítico 25:1-7 para cultivar um campo por seis anos e permitir que a terra descanse no sétimo ano. Esse período de sete anos veio a ser conhecido como "semana de anos". Portanto, Setenta Semanas [de Anos] são 490 anos.

    Observe que essa profecia contém três partes: 
    Sete semanas de anos (49 anos hebraicos). 
    Sessenta e duas semanas de anos (434 anos hebraicos). 
    Uma semana de anos (7 anos hebraicos).


    No ponto exato na história quando as 7+62 Semanas de Anos se cumpriram, Israel podia esperar que o Messias se apresentasse. Que grande notícia! Isso significava que Israel não poderia deixar de perder o Messias! Tudo o que os israelitas precisavam fazer era contar as semanas de anos, acompanhar os eventos que ocorriam e conhecer essa profecia.

    Este estudo nos mostrará várias coisas: 
    Que os magos que visitaram o menino Jesus sabiam que o tempo da vinda do Messias estava próximo. 
    Por que Israel não reconheceu o Messias. 
    Como isso se aplica a nós hoje. 

    Vamos agora considerar o significado da profecia.

    Duração: Essa profecia estipulava que o Messias seria apresentado a Israel e que seria morto após a passagem de 69 semanas de anos desde o ponto inicial. Quando multiplicamos 69x7, compreendemos que o tempo envolvido aqui é igual a 483 anos. Como no calendário judaico lunar o ano tem 360 dias, podemos facilmente ver que Deus está falando sobre 173.880 dias. Portanto, podemos esperar que 173.880 dias após o período inicial dado na profecia, o Messias se apresentaria a Israel como seu Rei longamente aguardado. 



    O Ponto Inicial da Profecia (Daniel 9:25a) 

    Neste verso, Deus disse que a profecia iniciaria "desde a saída da ordem para restaurar e edificar Jerusalém..." Quando Deus deu essa profecia a Daniel, Israel estava cativo na Babilônia; no entanto, Deus já tinha anunciado anteriormente, por meio do profeta Jeremias, que esse cativeiro duraria setenta anos. Esse período de setenta anos estava terminando rapidamente; na verdade a história registra que o rei medo-persa Artaxerxes emitiu o decreto autorizando a reconstrução de Jerusalém em 14 de março de 445 AC. Portanto, exatamente 173.880 dias após essa data, deveria levar-nos a algum evento significativo na vida de Jesus em que Ele seria apresentado à nação de Israel como seu Messias. 
    A Matemática da Profecia 


    A. As Primeiras Sete Semanas (48 Anos Judaicos)


    Se você estudar o livro de Neemias, verá o relato da migração dos judeus para reconstruírem Jerusalém após o decreto de Artaxerxes. Neemias assumiu a liderança dos esforços para a reconstrução, que foi realizada com tantas dificuldades e sob tantas ameaças dos inimigos, que os construtores carregavam espadas na cintura enquanto trabalhavam na reedificação dos muros. Assim, a profecia do verso 25b foi cumprida: "as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos".

    Esse esforço começou em 445 AC e culminou em 396, exatamente 49 anos, conforme profetizado.

    B. O Segundo Período (62 Semanas de Anos, ou 483 anos)

    Daniel 9:26 fala sobre o "Ungido", que viria após esse período de tempo e que seria morto. Os estudiosos mais conservadores compreendem que essa passagem refere-se a Jesus Cristo, não em Seu nascimento, mas em Sua apresentação como o Príncipe, o Messias. [John MacArthur Jr., The Future of Israel, Word of Grace Communications, pág. 21].

    "Existem dois eventos na vida de Cristo em que ele foi apresentado oficialmente. Um foi no seu batismo e o outro foi quando entrou triunfantemente em Jerusalém." [Ibidem] Este último evento tornou-se conhecido como Domingo de Ramos. Quando ocorreu? "O Messias Jesus veio a Jerusalém na Páscoa, em 6 de abril do ano 32 DC." [Ibidem].
    C. Os dois períodos combinados (7+62=69 Semanas de Anos, ou 483 anos judaicos, ou 173.880 dias). 



    Quando contamos de 14 de março de 445 AC até 6 de abril de 32 DC, temos 477 anos e 24 dias. No entanto, precisamos deduzir um ano, porque há somente um ano entre 1 AC e 1 DC. Isso nos dá 476 anos e 24 dias, ou 173.764 dias. 
    Em seguida, precisamos adicionar 119 dias referentes aos anos bissextos durante esse período de 476 anos (476 dividido por 4). Agora, temos 173.883 dias. 
    Entretanto, existe uma pequena imprecisão no calendário juliano quando comparado com o ano solar. O Observatório Real de Londres calcula que um ano juliano é 1/128 dias mais longo que o ano judaico solar. [Nota: É por esse motivo que os anos terminados em 00 não são bissextos, exceto quando divisíveis por 400.] Quando multiplicamos 476 por 1/128, temos 3 dias. Subtraindo 3 do valor acima, chegamos a 173.880 dias. [Ibidem]. 

    Portanto, existem exatamente 69 Semanas de Anos (173.880 dias) entre o decreto do rei Artaxerxes, que permitiu a reconstrução de Jerusalém, até o Domingo de Ramos, em 6 de abril de 32 DC!! Deus anunciou o dia em que o Messias se apresentaria a Israel como seu Rei! Vemos esse evento registrado em Mateus 21:1-11.
    Entretanto, imediatamente após entrar triunfantemente Jerusalém montado em um jumentinho, quando foi proclamado Messias e Rei de Israel pela multidão emocionada de Seus discípulos, Jesus lamentou por Jerusalém e por seus habitantes. Vejamos o relato em Lucas 19: 
    A Entrada Triunfal de Jesus em Jerusalém — Lucas 19:28-44 
    "E, dito isto, ia caminhando adiante, subindo para Jerusalém. E aconteceu que, chegando perto de Betfagé, e de Betânia, ao monte chamado das Oliveiras, mandou dois dos seus discípulos, dizendo: Ide à aldeia que está defronte, e aí, ao entrar, achareis preso um jumentinho em que nenhum homem ainda montou; soltai-o e trazei-o. E, se alguém vos perguntar: Por que o soltais? assim lhe direis: Porque o Senhor o há de mister. E, indo os que haviam sido mandados, acharam como lhes dissera. E, quando soltaram o jumentinho, seus donos lhes disseram: Por que soltais o jumentinho? E eles responderam: O Senhor o há de mister. E trouxeram-no a Jesus; e, lançando sobre o jumentinho as suas vestes, puseram Jesus em cima. E, indo ele, estendiam no caminho as suas vestes. E, quando já chegava perto da descida do Monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos, regozijando-se, começou a dar louvores a Deus em alta voz, por todas as maravilhas que tinham visto, Dizendo: Bendito o Rei que vem em nome do Senhor; paz no céu, e glória nas alturas. E disseram-lhe de entre a multidão alguns dos fariseus: Mestre, repreende os teus discípulos. E, respondendo ele, disse-lhes: Digo-vos que, se estes se calarem, as próprias pedras clamarão. E, quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela, dizendo: Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos. Porque dias virão sobre ti, em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te estreitarão de todos os lados; e te derrubarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, pois que não conheceste o tempo da tua visitação."


    Nesse dia, Jesus Cristo cumpriu a profecia de Daniel 9:24-26 ao pé da letra, ao ser proclamado Rei de Israel, 173.880 dias após Artaxerxes emitir o decreto para a reconstrução de Jerusalém. Que dia maravilhoso para Israel e para todos os judeus que estavam aguardando há séculos a chegada do Messias prometido!


    Israel e seus líderes deveriam estar esperando que Jesus fosse proclamado rei de Israel naquele mesmo dia. Todo o governo de Israel deveria ser comparecido para saudar o Messias e eles deveriam ter preparado o povo com meses de antecedência para a matemática dessa profecia que estava prestes a ser cumprida. Virtualmente, todo o Israel deveria estar alinhado às margens da estrada que Jesus estava percorrendo, para proclamá-lo como o Messias. Não somente tinha Jesus cumprido todas as profecias messiânicas relacionadas com Sua primeira vinda, mas agora estava sendo proclamado Rei no dia exato em que essa incrível fórmula matemática foi prevista para terminar.


    No fim da procissão, Jesus deveria ter sido recebido pelos líderes religiosos de Israel, que oficialmente deveriam proclamar que Ele era o Messias prometido.


    Entretanto, como todos sabemos, nada disso aconteceu. A despeito dessa incrível profecia messiânica, os judeus deixaram de observar o cumprimento dela, ao mesmo tempo em que os líderes de Israel estavam planejando o assassinato de Jesus na cruz, um evento que ocorreu apenas cinco dias depois.


    Por que os líderes espirituais de Israel negligenciaram completamente essa profecia?

    A resposta é realmente bem simples. Vários séculos antes de Cristo nascer, os líderes judeus começaram a aceitar e a propagar dois ensinos terrivelmente errôneos. Primeiro, ensinavam que as Santas Escrituras não deveriam ser interpretadas literalmente, pois não eram totalmente inspiradas por Deus e, portanto, continham erros. Segundo, ensinavam que as profecias não deviam ser interpretadas literalmente, mas deveriam ser espiritualizadas. Os livros proféticos, como Daniel, não eram lidos mais, pois continham muitas profecias. Depois de várias gerações, essa interpretação ficou solidificada e os líderes espirituais no tempo de Jesus desconheciam completamente essa profecia. Assim, "não conheceram o tempo da sua visitação".


    Veja novamente a repreensão de Jesus e a proclamação do julgamento que destruiria Israel em 70 DC e dispersaria sua população pelos próximos 1900 anos:

    "E, quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela, dizendo: Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos. Porque dias virão sobre ti, em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te estreitarão de todos os lados; e te derrubarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, pois que não conheceste o tempo da tua visitação." [Lucas 19:41-44].


    O significado deste estudo para os dias atuais é simples e óbvio. O mesmo ensino errôneo que nega a inspiração e a inerrância das Escrituras está sendo propagado nos dias atuais. A maioria das pessoas não sabe que mais de trezentas profecias referentes à segunda vinda de Jesus Cristo já se cumpriram ou estão sendo cumpridas. Essas pessoas não sabem que isso nunca ocorreu antes. Muitos pastores estão interessados somente em aumentar o número de pessoas sentadas nos bancos, para que possam construir uma nova igreja maior e não precisem lidar com a questão do cumprimento das profecias nos eventos atuais.
    Portanto, muitas pessoas estão negligenciando o cumprimento das profecias e perderão a Segunda Visitação de Jesus Cristo, correndo assim grande perigo espiritual.
    Jesus disse enfaticamente que aqueles que conhecem a profecias sobre sua segunda vinda poderão saber quando Ele estará às portas. [Mateus 24:33] Ele também nos disse qual tipo de atitude precisamos ter ao virmos a proximidade da sua segunda vinda; em Marcos 13:37, Ele disse: "E as coisas que vos digo, digo-as a todos: Vigiai." Isso significa que cada um de nós deve estar testemunhando ativamente para seus colegas de trabalho e amigos; devemos estar atentos aos eventos mundiais e devemos ler nossas Bíblias diariamente, para que o Espírito Santo nos mantenha fiéis a Jesus Cristo, ao entrarmos nesta época de tanta enganação espiritual.

    Estamos muito perto do tempo em que Jesus retornará para buscar Sua igreja e livrá-la da Tribulação que virá sobre todo o mundo. Se você não está desejando ansiosamente o arrebatamento talvez seja por que não seja salvo de verdade. Entregue seu coração para Jesus ainda hoje.



    Por Milton Bit Bitbull 

    Sobre

    Exclusivamente voltado para matérias informativas em questões apologéticas, notícias e estudos bíblicos, este site tem o objetivo de servir como ferramenta de evangelização bem como alerta e preparo à igreja cristã sobre os últimos eventos que antecedem a Volta Gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.

    Termos de Uso

    Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir os artigos em qualquer formato, desde que informe o(a) autor(a) e a fonte do artigo, bem como as fontes intermediárias, inclusive o Site "O Correio de Deus". Não é permitido a alteração do conteúdo original sem a devida notificação de alteração em cópia extraída deste site e muito menos a utilização para fins comerciais.
    Licença Creative Commons
    Este trabalho está licenciado com uma Licença