terça-feira, 22 de abril de 2014

Grupo de ateus acusa universidade por proselitismo


Um grupo de ateus entrou com uma ação contra a Universidade de Clemson, nos Estados Unidos por "promover o cristianismo aos seus alunos-atletas."


A Universidade Pública da Carolina do Sul é alvo da "Freedom From Religion Foundation (FFRF)" por supostas violações dos direitos civis.

A organização apresentou um pedido de registros abertos em fevereiro, e estava preocupada pelo que encontrou.

"O que temos visto nos registros é que a equipe técnica de futebol está fazendo uma série de coisas para promover o cristianismo aos seus alunos-atletas", disse ao The Greenville Times, o advogado pessoal da FFRF, Patrick Elliot.

"Enquanto os atletas estudantis podem orar, realizar estudos bíblicos e participar de atividades religiosas, a comissão técnica, como os funcionários públicos não deveria estar fazendo isso com seus alunos."

A FFRF arquivou uma queixa contra a Universidade em 10 de abril. 

De acordo com um comunicado de imprensa da FFRF, o treinador de futebol, Dabo Swinney, é acusado de aceitar jogadores e treinadores da Igreja Batista Valley Brook, da equipe de programação devocional, confirmando a participação no almoço dos jogadores na Associação dos Atletas cristãos, durante o qual três jogadores iam testemunhar e realizar outras atividades religiosas.

A FFRF afirma que não é contra Swinney ser cristão, mas são contra o fato de ele estar ministrando aos seus jogadores. "Ele tem todo o direito de ser religioso e participar destas atividades", disse Elliott ao The Greenville Times.

"Mas ele não tem direito de fazer isso como parte da sua posição de treinador na faculdade. É preciso haver uma separação completa entre os seus pontos de vista religiosos e demonstrar incentivar as pessoas que estão abaixo de seu cargo." 

"Isso viola seus direitos constitucionais. Treinadores têm uma enorme influência sobre os jogadores. Tomam decisões sobre quem tem as bolsas de estudo, quem vai jogar e o que eles fazem."

FFRF, membro da Atheist Alliance International, também não concorda com a Universidade de Clemson ter um capelão. "O que nós gostaríamos de ver é o fim desta posição de capelão", disse Elliot, acrescentando que o capelão da equipe, James Trapp, é um funcionário do Estado.

"O senhor Trapp, como empregado dentro da folha de pagamento de uma universidade estadual não pode fazer proselitismo ou promover a religião e não pode usar seu escritório na universidade para fazer isso", disse Elliott em um comunicado de imprensa. 

O diretor de assuntos públicos da Universidade de Clemson, Cathy Sams, não fez comentários sobre a denúncia, mas disse que as atividades religiosas não são obrigatórias para os jogadores.

"Ninguém é obrigado a participar das atividades religiosas relacionadas com o programa de futebol", disse Sams para The Greenville Times. 

"É totalmente voluntário. Religião é uma grande parte da crença pessoal do treinador Swinney, mas não é absolutamente necessário. Não há participação obrigatória." 


Fonte: Mundo Cristiano e Fique Atento
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.