quarta-feira, 30 de abril de 2014

Dilma defende nova ordem mundial e reformas na ONU


Em artigo de jornal, presidenta ressalta que Índia e Brasil compartilham semelhanças como multiculturalismo e diversidade étnica

Índia e Brasil querem uma nova ordem mundial e reformas no Conselho de Segurança das Nações Unidas que levem em consideração a nova realidade do mundo, afirma a presidente brasileira, Dilma Rousseff , em um artigo publicado no jornal The Times of India.

"Brasil e Índia convergem fortemente para a reforma das organizações internacionais, seja a ampliação do Conselho de Segurança das Nações Unidas e a criação de um novo modelo de responsabilidade do FMI ou o estabelecimento de novos fóruns de alto nível, como o G20, IBAS, BASIC e Brics", afirma Dilma.

A presidenta participa em Nova Délhi na 4ª Reunião de Cúpula dos Brics, grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, e na sexta-feira fará uma visita de Estado ao país anfitrião. A visita, segundo a presidenta brasileira, pretende "consolidar uma agenda bilateral substantiva e reforçar princípios similares de política externa, incluindo a defesa dos interesses de nossas populações pobres, promoção de crescimento econômico sustentável e uma posição internacional independente coerente com a nova ordem internacional".
Na primeira viagem à Índia como chefe de Estado, Dilma ressalta que as duas democracias compartilham muitas semelhanças, apesar da situação geográfica, como o multiculturalismo e a diversidade étnica e religiosa. "Brasil e Índia se destacam como modelos de crescimento, que conseguiram tirar da pobreza milhões de pessoas", afirma no texto.
O comércio entre os dois países, que assinaram mais de 30 acordos bilaterais, passou de US$ 500 milhões em 1999 a US$ 9,3 bilhões em 2011. A Índia é o 12º maior sócio comercial do Brasil.
Durante essa visita, os dois países assinarão o acordo Ciência Sem Fronteiras para permitir que professores e estudantes brasileiros possam estudar em universidades indianas e vice-versa. Os países também pretendem ampliar a área de cooperação, centrada principalmente na tecnologia, medicina e defesa, além de estimular o turismo.
A visita de Dilma Rousseff à Índia também pode ser importante para decisão de Brasília sobre a compra de 36 caças. Analistas e fontes do governo brasileiro afirmam que a decisão da Índia de negociar exclusivamente com a França para a compra de 126 Rafale - uma licitação avaliada em US$ 12 bilhões - pode ajudar a convencer o Brasil a optar pelo mesmo avião.
Último Segundo
O CORREIO DE DEUS
O CORREIO DE DEUS

This is a short biography of the post author. Maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec vitae sapien ut libero venenatis faucibus nullam quis ante maecenas nec odio et ante tincidunt tempus donec.

Um comentário:

  1. Dilma porque não vai tentar melhorar os hospitais,pagar menos pros seus amigos deputados e mais pro povo ao invés de ficar aguardando pra por um 666 na testa,e a vinda do anti-cristo,me diz você conhece a Bíblia?Ela fala de uma coisa muito bonita que vai acontecer com o anti-cristo e aqueles que levarem a marca dele,tem um lago de fogo os esperando,e acho que esse vai ser o dia mais feliz das vossas vidas já que ficaram juntinhos no lago de fago para o resto de suas vidas todos aqueles que escolheram amar o pecado,todos aqueles que escolheram amar Satánas.

    ResponderExcluir

AVISO!

Desde já quero informar que todos serão responsabilizados pelos seus comentários!

Comentem mas com pudor e serenidade, pois só serão aceitos comentários que somam para o assunto caso contrário não serão publicados. Críticas são bem vindas desde que tenham coerência no que estão falando. E comentários de links e propagandas de outras páginas não serão publicados também. Temos uma visão conservadora e não desviaremos o foco do pensamento bíblico. Att; SITE O CORREIO DE DEUS

Grato pela atenção de todos.